DENÍSIO CASARINI

"O CALABRÊS VOADOR"

 

Sem dúvida um dos maiores pilotos de sua geração !

Sua técnica apurada e seu estilo arrojado de pilotar, o levaram a grandes vitórias e conquistas !

Mas o destino mudou o rumo de sua carreira, que poderia ter nos dado um forte candidato a um título internacional.

Vamos conhecer um pouco dessa história !


Em 29 de março de 1951, nascia o primogênito da família de "seu" Thede Casarini e ''dona" Rosa Silla Casarini ... o robusto menino Denísio Casarini.

De origem italiana, a família morava no pacato bairro paulistano da Casa Verde, em São Paulo.

Desde muito cedo Denísio já demonstrava ter paixão pela velocidade, e com a ajuda de amigos, entre eles um agitado menino de nome Walter, mas mais conhecido como "Tucano", constróem uma enorme pista de Autorama.


O menino Denísio

Como seus amigos eram um pouco mais velhos, muitos já tinham suas motinhos e Denísio ficava correndo atrás deles com sua bicicleta.

Numa dessas aventuras, Denísio foi da Casa Verde até o autódromo de Interlagos, de bicicleta, ver as corridas de moto ... era uma viagem naquele tempo !!


O jovem Denísio no bairro da Casa Verde em São Paulo

Mas seu pai, vendo que aquela paixão era inevitável, deu-lhe de presente uma Leonette 50, no aniversário de 12 anos !

Aí, sim, os rachas aconteciam pelas ruas do bairro, nos anos 60 !

Em 1968, já trabalhando numa revenda Ford, Denísio consegue juntar dinheiro e compra uma moderna Yamaha CS2E 180, recém chegada ao Brasil.

Pouco tempo depois, em 1970, seu amigo Tucano disputaria uma prova de verdade, na cidade de Santos ... e vence ! Isso definitivamente incentiva Denísio a decidir pelo seu futuro ... queria correr também !

Assim, nesse mesmo ano, com sua Yamaha CS2E 180, faz sua inscrição numa prova de Estreantes, em Interlagos.

Naquela época, era "Força Livre", ou seja, andava todo mundo junto.

Denísio, sem experiência, de repente percebeu que estava atrás de Tucano, com uma Honda CB 250 ... "eu não podia aceitar o Tucano na minha frente ... afinal a gente se pegava o dia inteiro pelas ruas ... e quando tentei encostar, numa curva, errei a freada e fui para o chão !" - relembra Denísio.


1ª corrida - Yamaha CS2E 180 - 1970

Sua segunda corrida, ainda nesse ano, foi a 1ª 500 Milhas de Interlagos, em dupla com o já veterano Felipe Carmona ... ficam pra lá de décimo lugar ... a velha NSU utilizada, mais quebrava que andava !!


Denísio pilotando a NSU - 1970

No ano seguinte, em 1971, começaria a fama da dupla Denísio - Tucano !

Tucano tinha uma Ducati 250, e com ela os dois se inscreveram na prova 500 Milhas de Interlagos.

A Yamaha trouxe ao Brasil, para divulgar suas motos, uma dupla de pilotos oficiais, Akiusu Motoashi e Hirowuki Kawasaki e uma TR2B 350, "de pista" !

E a dupla Denísio-Tucano, surpreendendo a todos, conquista um belíssimo 2º lugar, ficando apenas duas voltas atrás da poderosa equipe japonêsa !!


Denísio na Ducati 250 - 500 Milhas de 1971

Com esse desempenho, a Yamaha, vendo um futuro promissor, da dupla, primeiro contrata Tucano e logo depois contrata Denísio.

Em agosto desse ano, acontece as 200 Milhas de Interlagos, prova disputada no anel externo do autódromo.

Por estratégia de marketing, a Yamaha libera uma TR2B 350 para Tucano e uma DS7 250 (moto de rua), preparada para pista para Denísio. E como não poderia ser melhor, os dois vencem, cada um na sua categoria !


Bandeirada de Eloy Gogliano para Tucano (nº 5) e Denísio (nº 16), vencedores nas categorias 350 e 250 !
200 Milhas -1971

Nessa época, a Yamaha estava trazendo ao Brasil, suas motos tipo "Trail" e para divulgar o produto, começa a participar das pequenas provas de motocross que aconteciam no Paraná. E lá vai a dupla novamente disputar as provas.

Nesta primeira prova, disputada em 11 de junho de 1971, na verdade Denísio havia ido à Curitiba apenas para promover a moto, no caso uma FT1 50 cc, mas venceu as duas categorias, "Subida da Montanha" e "Melhor Salto" !


Deníso recebendo o troféu das mãos de Rubens Hermann, que construiu a primeira pista de motocross do Brasil, em Curitiba

Em 13 de fevereiro de 1972, ocorre a primeira prova oficial de motocross em São Paulo, na cidade litorânea de Itanhaém. Desta vez a vitória é de Tucano, com Deníso em segundo lugar !


"Tucano" na frente, não aparece na foto,  Denísio (n°1) em 2°, Edgarzinho Soares de  DT 250 (no chão)  e Marcos Pasini (n° 10).

Nesse ano, novamente a dupla Denísio-Tucano iria enfrentar a dupla japonêsa nas 500 Milhas de Interlagos ... só que desta vez os brasileiros iam de TR3 !

Na prova, disputadíssima, os brasileiros chegaram a estar liderando, mas por causa de uma corrente quebrada, após 101 voltas, ficam em 2º lugar, a apenas 58 segundos da dupla japonesa ! Mais um belo vice da dupla !


Denísio de TR3 
500 Milhas - 1972

No motocross, Denísio é o vice campeão paulista e brasileiro, atrás de Tucano.


Denísio detonando no motocross - 1972

Em 1973, Denísio espera um grande ano !

Para as 500 Milhas, Denísio bate o recorde de Interlagos, nos treinos, mesmo com a presença do jovem e rápido piloto venezuelano Johnny Cecotto !

Mas na prova, disputando a liderança com Adú Celso, seu parceiro Tucano, na 53ª volta, toma um tombaço na curva do Laranja, praticamente destruindo a moto !


Denísio - recorde de Interlagos
500 Milhas - 1973

No motocross, agora com provas disputadas na pista da Yamaha, a Trailândia (São Paulo), em Ribeirão Preto, na Porta do Sol, Belo Horizonte e outras, Denísio conquista os títulos de campeão paulista e brasileiro ! Seria sua última participação na categoria ! 


Denísio - Campeão Paulista e Brasileiro de Motocross
1973

Na velocidade, Denísio vai liderando também o paulista e o brasileiro, na categoria 350 cc.

Esse é o ponto mais importante de sua carreira ... sua meta é disputar o Mundial na Europa.

Com um belo patrocínio, da Bardhal, sua amizade com Andréa Hippolito, o grande chefão da Venemotos, e uma extrema confiança na seu potencial, Denísio projeta um grande futuro nas pistas do mundo.

Mas por uma questão de oportunidade, a coisa não sai exatamente como gostaria...

A própria Yamaha o incentiva a adiar seu projeto para a participar de uma prova de destaque internacional.

Em julho desse ano, Denísio recebe um convite da Yamaha Japão para representar o Brasil numa prova internacional, o Festival Mundial de Motociclismo, com a participação de vários pilotos de renome, como Johnny Cecotto, Kel Carruthers, Gary Fischer, Steve Baker, Katayama, Kanaia, entre outros.

Todos iriam andar com as novas TZ 350. Nos treinos Denísio se classifica em 12º lugar, na 3ª fila.

"Na largada, eu saí tão forte que nem apareci na foto ! Sumi na frente ! Depois de umas 3 curvas, lembrei que não conhecia a pista direito, e resolvi esperar alguém para seguir ... passou o Katayama, e depois foram passando outros mais ... mas logo passei o Steve Baker e o Cecotto e fiquei em 4º lugar ... Katayama, Kanaia, Carruthers e eu ! Eles abriam na reta e eu encostava no miolo ! Mas no fim do retão, dei uma vacilada, olhando para o contagiros e passei um metrinho da frenagem !  ... e chão ! Se não tivesse caído, pegaria o pódio fácil ! " - recorda Denísio !


Denísio (nº 4) detonando no Japão
1973

Mas seu desempenho chamou a atenção da imprensa local e Denísio recebeu vários elogios !

Logo depois, em agosto, viria a 200 Milhas de Interlagos.

Nessa prova, Denísio com uma TZ 350 vinha bem, chegando a liderar, mas na parte final foi ultrapassado por Tucano. Tentando andar rápido, Denísio começa a arriscar, na última volta, a 200 metros da bandeirada, acontece o imprevisível !

Denísio derrapa, e cai, espetacularmente ... sua moto passa pela linha de chegada e ele vem atrás, rolando na pista !!

O tombo foi registrado pela lente do fotógrafo Oswaldo Luiz Palermo.

( veja a sequência das fotos

No final, Denísio é vice-campeão paulista e brasileiro das 350 cc, com direito a quebra de recordes de várias pistas, como Tarumã, Interlagos (anel externo e pista completa) e Curitiba.


O melhor de 1973 !!

E ainda foi eleito o "Piloto do Ano" pela imprensa especializada !

Tudo caminhava para sua carreira internacional !

O ano de 1974, iria começar bem, mas guardava uma surpresa desagradável também.

Logo em fevereiro, viria a Taça Centauro, com a presença do campeão mundial da 125 cc, Kent Anderson, e do experiente Adú Celso.  Denísio faz um 3º, um 10º e um 5º, nas 3 baterias, chegando a liderar a 2ª ! Fica em 4º lugar na geral.


Kent Anderson (nº 1), Denisio Casarini (nº 16) e Adú Celso (nº 4)
Taça Centauro - 1974

Em março, seria disputada a terceira 24 Horas de Interlagos, a mais importante prova do calendário, que não era disputada desde 1953 !

Denísio, faz dupla novamente com Tucano. O competente Tani, prepara uma TX 500 para a dupla.

E Denísio e Tucano conquistam uma vitória histórica, com 5 voltas em cima do 2º colocado !!


Vitória histórica da dupla Denísio-Tucano
Denísio pilotando a TX 500
24 Horas de Interlagos - 1974

Com mais esse destaque, o planejamento da carreira de Denísio seria disputar as 500 Milhas, e aí sim, já com sua carteira de piloto internacional (a primeira concedida a um piloto brasileiro), partir para a Europa.

Mas as coisas acabam se complicando e mudando a história !

Nos treinos das 500 Milhas, Denísio, querendo se impor sobre os pilotos internacionais, entre eles Johnny Cecotto, já sai dos boxes acelerando fundo !

Copleta a primeira volta, e entra a 180 km/h, na curva Um ... o retentor do pinhão vaza óleo ... e Denísio é jogado contra o guard-rail ... fraturando o antebraço direito, próximo ao pulso !


Por enquanto a dor era só física ...

Isso seria o "divisor das águas" da sua até então brilhante trajetória !

Podemos considerar esse episódio com o final da primeira fase da carreira desse brilhante piloto ...


Na sua cabeça, Denísio só pensava em se recuperar logo, e partir para seu projeto de disputar o Mundial de motovelocidade.

Porém a fratura se complica e são 3 cirurgias, com pinos, placas, enxertos, e uma longa a dolorosa recuperação.

Para complicar, a Yamaha decide se retirar oficialmente das pistas, extingue o departamento de competições, demitindo Deníso e Tucano.

Denísio vê seu mundo ruir e decepcionado, chega até a deixar as competições em segundo plano, para se dedicar à sua vida profissional e a pessoal.

A dupla Denísio e Tucano havia montado uma loja de motos Yamaha, mas com o fim do apoio oficial, são obrigados a desfazer a sociedade.

Denísio abre uma loja de carros e motos usados e casa com sua então namorada Selma (com quem é casado até hoje).

São quase 2 anos de recuperação ... o resto do ano de 1974, 1975 e parte de 1976, ficam perdidos para Denísio nas competições !

No final de 1975 o venezuelano Pedro Mezarhane, vice campeão Latino Americano, que vinha em algumas provas no Brasil, sofre um acidente em Interlagos, fraturando a bacia. Denísio Casarini lhe dá toda a assistência aqui no Brasil e acaba formando uma grnade amizade.

No ano seguinte, em março, iria acontecer o GP da Venezuela da Fórmula 750, disputada em 200 Milhas. Seu amigo Mezarhane, que ainda se recuperava do acidente, convida Denísio para ir disputar a prova, numa categoria especial, de  350 cc.

Denísio, ainda em recuperação, mas com muita vontade de correr, topa e vai à Venezuela.

Mesmo sem conhecer a pista, a moto, e ainda com dores, Denísio fica em 3º lugar, pilotando a TZ 350 Bimoto de Mezarhane !


Denísio Casarini mostrando um pouco de seu potencial para disputar um Mundial ! Um brilhante 3º lugar !!
Venezuela - 1976

No segundo semestre de 1976, Denísio resolve voltar a correr mesmo, e prepara uma Honda 750 que tinha na sua loja.

Sem patrocínio, com a moto toda azul, Denísio e Tucano (agora piloto da Fórmula G), disputam uma das mais lindas e emocionantes provas que Interlagos já viu !

Correram o tempo todo alternando a liderança ! Um grande retorno às pistas, digna de um grande piloto !

No restante da temporada Denísio mostra que está voltando à melhor forma e vence a Taça Centauro, com a melhor volta da prova, novo recorde para a categoria ( 550 a 1300 cc) com 3'24"26.


Denísio - Taça Centauro - 1976
Voltando a vencer !

Em 1977 Denísio consegue um bom patrocínio, da Gledson (confecção) e monta uma ótima estrutura, tendo inclusive uma TZ 350 preparada pelo competente Mauro Thomassini.

Foi um ótimo ano, para apagar de vez a má fase ... com grandes atuações e vitórias, Denísio vai para a última prova do campeonato paulista precisando de uma vitória para levar o título ... 

Denísio vence, mas o piloto Mário Hélio Sanctos, chega em 3º lugar e fica com o título da categoria ... vice para o "Calabrês" !!!


Denísio e sua Yamaha TZ 350
Vice Campeão - 1977

Com a sua Honda 750, agora vermelha (cor da Gledson), Denísio disputa também algumas provas na categoria 550 a 1300 e faz grandes exibições, principalmente nos duelos com seu "arqui-rival-amigo" Tucano !


Denísio e Tucano - shows nas pistas  - 1977

No ano de 1978, a concessionária Honda Renome, contrata Denísio para ser o gerente geral, e aproveita para montar um time forte.

A união Renome / Gledson monta uma grande equipe ... 

Denísio irá disputar a categoria 550 a 1300, com uma Honda 750 Daytona ( veja matéria ) pela Renome / Gledson e a categoria Especial com uma TZ 350 pela equipe Gledson.

A Honda Daytona foi comprada por Denísio e sua preparação foi minuciosa, com várias adaptações, feitas pelo próprio piloto.

E já na primeira prova do ano o resultado aparece ... Denísio disputa com seu maior rival (e amigo) Tucano, da equipe Fórmula G, e comemora mais uma brilhante vitória !

Na prova seguinte, além da vitória, Denísio marca um novo recorde para a pista de Interlagos (o anterior era seu também) com tempo de 3'18"42, média de 144,420 Km/h ! Nada mal !!


Denísio com sua Honda 750 Daytona - 1978

O ano de 1978 dividiu-se em duas partes ... no começo, tudo dava certo, com vitórias atrás de vitórias, mesmo sofrendo uma queda com uma fratura na mão, Denísio de recupera e vence apenas um mês depois. 


Denísio e sua nova TZ 350 - 1978

O final da temporada, todavia, foi ingrato para o valente piloto ... Seguido sempre de perto por Tucano, era preciso vencer sempre, mas em ocasiões decisivas, foi prejudicado, ora por quebra de um anel, ora por outro problema mecânico. Com isso, Denísio não teve chance da concretização do desejo de ficar com o título ... mais uma vez ficou com o vice campeonato brasileiro !

Em dezembro desse ano Denísio participa do Latino Americano, no Uruguai e na Argentina, mas a falta de apoio e de equipamento (as nossas TZ eram muito ultrapassadas), não permitem bons resultados.

Para 1979, a equipe Gledson Renome recebe o reforço financeiro da Coca-Cola e a promessa de novos equipamentos deixa Denísio entusiasmado.

Já em março, abrindo a temporada, ocorre em Interlagos uma prova internacional, a I Copa do Brasil, com a participação de nomes como Carlos Lavado e Walter Villa.

Porém a TZ "standard" de Denísio, embora afinada pelo competente Tani, não era páreo para as TZ  dos "gringos" , que tinham 18 HP a mais e 15 kg a menos !  

Denísio fica apenas em 4º lugar, e isso também, porque assim que largou, o cabo da embreagem soltou ... com o chão molhado e sem embreagem, Denísio fez mágica para chegar nessa colocação !


Deníso com sua Yamaha TZ 350 Standard
Equipe Gledson / Coca-Cola
I Copa do Brasil - 1979

Além de participar das provas do paulista e brasileiro (com sua Honda Daytona), em setembro Denísio disputa a 24 Horas de Bol D´or, juntamente com Antonio Bernardo Neto. 


Denísio no primeiro semestre de 1979 com sua Honda 750 
Equipe Renome / Gledson / Coca-Cola
(foto de Carlos Crippa)

Através de seus contatos na Europa, Denísio consegue comprar um motor de Honda RCB 1000 e o coloca num chassis Nico Baker, especial para competição.

Na corrida, quem larga é Denísio, e cumpriria as primeiras duas horas da prova.


Denísio, entrando no clima !
24 Horas de Bol D´Or - 1979

Denísio vinha bem, embora a moto, apresentasse uma série de vazamentos de óleo (o reservatório estava trincado), tornando-a quase inguiável ... 

Mas o competente piloto brasileiro se mantém entre os primeiros, e vai tirando a diferença dos ponteiros ... no braço !

Depois de perder muito tempo para consertar o vazamento, Antonio Bernardo, volta a pista e também mantém uma boa tocada.

Porém, quando estavam na sexta colocação, o câmbio quebra (as marchas escapavam), tirando a dupla brasileira da prova !

Depois do Bol D´Or, Denísio passa a usar sua RCB 1000 no campeonato Brasileiro na categoria 400 a 1300.

A disputa pelo título do campeonato Brasileiro, fica muito mais bonita, pois além de  Denísio, Tucano, e goiano Edmar Ferreira, também usam motos Honda 1000, usadas por eles nas provas de endurance internacionais !


Denísio pilotando sua RCB 1000 - 1979

E a história se repete ... na última prova do brasileiro, em dezembro, disputada em Interlagos, 4 pilotos podiam ser campeões na categoria 400 a 1300 cc ... Denísio, Tucano, Castroviejo e Edmar.

Denísio, na segunda volta, liderando a corrida cai na curva do Mergulho, e abandona a prova, que é vencida por Tucano, o novo campeão ! Mais uma vez o vice !!

A temporada de 1980 começa muito tumultuada, com novo regulamento, extinção de algumas categorias e uma grande crise na motovelocidade brasileira ... 

Era também o fim da parceria Gledson - Renome.

Denísio, que nesse ano abriria sua própria concessionária Honda, a Casarini Motos, correria sem patrocínio, com sua RCB 1000.

É um ano fraco de provas, apenas uma vitória, e no final da temporada, com a proibição da Federação às motos de 1000 cc de participar da temporada seguinte, de 1981, Denísio resolve parar de competir ... pelo menos com motos !


Denísio, em Goiânia, uma de sua últimas provas.
1980

Nos anos de 81 e 82 Denísio andou de Stock Car (na época os "Opalões").

Nos anos seguintes participou de algumas provas, como as Mil Milhas de 1985, 1986 e 1987.

Em 1985, ensaia uma volta ao motociclismo e participa em dupla com Marco Antonio Greco, o Lagartixa, das 500 Milhas de Interlagos, com a RCB 1000.

Mas um tombo na curva do Pinheirinho (Denísio estava fora de forma e os reflexos já não eram os mesmos), põe fim na aventura do Calabrês !! 


Denísio uma curva antes de seu tombo !
(foto de Carlos Crippa)


Denísio tentando voltar à pista !
(foto de Marc Petrier - Revista Motoshow)

Andou também no Campeonato Brasileiro de Marcas, a categoria "top" da época, e chegou a vencer, ficando em 3º no campeonato. 


Com uma ultrapassagem na última volta, Denísio conquista a vitória na prova de Marcas, pilotando um Escort
Cascavel - 1987

Em 1990, sua última incursão no mundo das duas rodas (em competições é claro !) ... Denísio compra uma Suzuki 750 e depois de alguns treinos em Goiânia, onde faz melhor tempo do que o jovem Birigui, rápido piloto da época, parte animado para competir nos Estados Unidos.


Denísio mostrando que ainda tem muito estilo e arrojo ! Na sua cola vem o jovem Birigui.
Goiânia - 1990

Foram 3 provas, uma em Daytona, uma em West Palm Beach, e uma Moroso. O melhor resultado foi um 3º lugar. E o que o atrapalhou foi, por incrível que pareça, o seu pulso direito ... aquele de 1974 !!


Denísio e sua esposa Selma em Daytona - 1990
(notem o braço direito do Calabrês !)

Em 1991, correndo com um Mustang vermelho (Denísio sempre foi apaixonado por carros antigos), foi o campeão da categoria Fórmula Classic, disputada em várias provas em Interlagos.


Denísio e seu Mustang a caminho do grid - 1991

E assim, em1994, competiu pela última vez com carros, pendurando o capacete definitivamente.

Foi uma carreira intensa que só não foi mais brilhante por conta de pequenos desvios que o destino lhe reservou ... uma fratura, alguns tombos por causas mecânicas "impossíveis", quebras de porcas, cabos, vazamentos de radiador .... parecia que os pequenos tropeços conspiravam contra sua glória ! 

Mesmo nos tempos de equipe grande, as dificuldades sempre foram grandes ... o que o público via, era já o resultado final, o "glamour" do patrocinador.

Só ele mesmo sabe como eram difíceis as noites perdidas preparando as motos, o garimpo de peças, pneus, as dores das várias fraturas, raladas, deixar a família quase em segundo plano, para se dedicar à sua grande paixão ... o motociclismo !

Mas uma certeza, Denísio, você pode ter ... nós, seus fãs, vamos tê-lo eternamente como um grande vencedor, um grande campeão !

As suas exibições de gala, nas pistas brasileiras estarão sempre em nossa memória, pois seu estilo arrojado e técnico, não pôde ser imitado por ninguém ... e o mundo perdeu isso !! 

O privilégio foi só dos brasileiros !

Quem viu, torceu, e se emocionou com seus pegas, pode ser considerado um privilegiado, pois aquelas corridas nunca mais voltarão !

Fica aqui uma pequena e justíssima homenagem ao nosso grande piloto ...

DENÍSIO CASARINI

"O CALABRÊS VOADOR"


Denísio Casarini e seus (muitos !) Troféus.
Fevereiro / 2006

Por Ricardo Pupo
Fevereiro / 2006

Fotos: Arquivo pessoal


Se você quiser, faça seus comentários sobre essa matéria !

Comentários:



Nome:   E- Mail:


Comentário dos Internautas:


Eu realmente me sinto um privilegiado (como diz a matéria), porque participei desta época de ouro do motociclismo Nacional, e pude ver pegas incríveis do Denisio e todos os Bons dos anos 70.
Agradeço ao Ricardo Pupo por ter utilizado as fotos que eu registrei deste que é um dos grandes pilotos que o motociclismo pode ver. Valeu ! Denisio. !
Carlos Crippa
(servicos.spc@spjapan.com.br) Terça Feira, 7 de Fevereiro de 2006, às 17:42:52


Este não poderia faltar de jeito nenhum em personalidades!! Tive a
felicidade de cumprimentá-lo o ano passado, quando ele visitou uma
loja de motos na Av.dos Bandeirantes, na qual eu trabalhava como
vendedor.
Pena, mas pena mesmo, todos estes imprevisíveis percalços que ocorreram
em sua carreira, senão meu amigo, a história seria outra....
Você pertenceu a uma geração de pilotos brasileiros do mais alto
quilate, com todos os requisitos para ser um campeão mundial.
Na Europa e no Japão pessoas como você Denísio, são referenciadas por
seus compatriotas com muito orgulho pelo que fizeram.
Aqui no Brasil, temos que fazer isto também!
Sei que é um trabalho árduo encontrá-los. Por isto parabenizo o MC70
por ser o único veículo que dá a verdadeira importância à memória do
motociclismo nacional. 
Apareça em um encontro no Pacaembu Denísio, para que possamos estar
mais próximos dos nossos inesquecíveis ídolos!
Parabéns e um grande abraço!
Ricardo Vieira Guimarães
(rvguimaraes@ig.com.br) Terça Feira, 7 de Fevereiro de 2006, às 18:17:35


Eu cansei de ir a Interlagos torcer pela dupla Deni-Tuca...Quando comecei a correr e a fazer parte daquele mundo, passei a conhecer melhor os integrantes daquele "circo", e sem dúvida alguma, o Denísio e o Zé eram (e continuam a ser) nota 10. Muito amigos e adversários "numa boa". Parabens ao Denísio, muita gente começou a correr por causa dêle. Abraços M.H.S.
Mario Hélio Sanctos
(mariohms@uol.com.br) Quarta Feira, 8 de Fevereiro de 2006, às 12:14:57


Sem dúvida, o Denísio e o Tucano eram os melhores. Eu sou mais fã do 'Calabrês" por seu estilo mais arrojado. O Tucano era mais técnico, errava menos, mas o Denísio tinha uma garra e um carisma inconfundível.
Parabéns Calabrês !!
Celso Lopes
( clopes@ig.com.br ) Quarta Feira, 8 de Fevereiro de 2006, às 12:46:32


TIVE  A HONRA DE CONHECE-LO JUNTO COM O TUCANO EM UMA PROVA NO RIO, MUITO ATENCIOSO, E SEM DUVIDA UM DOS MELHORES PILOTOS DA EPOCA UM FORTE ABRACO
FLAVIO ABBUD
COLECIONADOR
(flavio.abbud@terra.com.br) Quarta Feira, 8 de Fevereiro de 2006, às 18:42:13


Numa manhã de julho de 1979, o Denisio me liga convidando para participar das 24 horas de Bol D´or em setembro. Como já havia treinado um ano antes com o Tucano e o Edmar em Le Mans topei na hora. Ficamos 1 mês em Amsterdã esperando o Nico Baker preparar uma quadro especial com motor Honda  de fabrica. Atravessamos a Belgica, entramos na França até Paul Ricard e o Denisio não parava de falar entusiasmado sobre a prova. Chegamos e ficamos juntos da equipe do Tucano / Edmar. Começou o treino, moto novinha, sai o Tucano e Denisio do lado (atrás nunca) e começam a baixar o tempo, de repente o calabrês vem de lado num S enjoado e...compra um terreno. O carter de óleo racha, remendamos e rezamos para aguentar na corrida. Dada a largada, naquele tempo eram só dois pilotos, passa o Tucano em 8º e do lado (atrás nunca) o Denisio, foi assim nas primeiras horas.
Essa pequena história, é uma pequena amostra  da garra, competitividade e vontade dele sempre pilotar na "red zone". Tenho as melhores recordações dos tempos de piloto ... e o Denisio sempre foi um companheiro leal e amigo. Faço votos que ele continue a ser o que sempre foi; um grande cara.
Abraço
Antonio Bernardo Neto
(aber@iron.com.br) Quarta Feira, 8 de Fevereiro de 2006, às 19:12:22


Caro Ricardo ,
É gratificante saber que ainda existem pessoas como você que além de amigo é alguém que trabalha na preservação de memória do motociclismo. Motociclismo este que tive a felicidade de fazer parte numa época de sonhos em que não se media esforços em busca do apogeu.
A vida é assim mesmo, impulsionada por sonhos que nos levam nem sempre as vitórias .
O importante é buscar desafios , sejam quais for em que area for e quando se cai , buscar forças para levantar e continuar a caminhada.
Talvez essa brilhante matéria sirva para exemplificar nossa passagem por este mundo.
Parabéns pela sua iniciativa e sensibilidade.
Seu amigo
Denisio Casarini
(casarini@casarini.com.br) Quinta Feira, 9 de Fevereiro de 2006, às 10:42:16


Denísio, Tucano e Adú, nosso trio de ferro. Quem viu não se esquece e quem não viu infelizmente jamais verá tempo igual no Brasil.
Leandro Peduto Alfonso
(portocc@uol.com.br) Quinta Feira, 9 de Fevereiro de 2006, às 15:27:59


A dupla Casarini e Tucano é inesquecivel quem ia em interlagos nos anos 70 viu belas diputas dos dois, tive oportunidade estar nas pistas com os dois pois corri de TR3 na cat. esporte que largava junto com as 750cc, lembro uma vez em um treino quando fui ultrapassado pelos dois no miolo de Interlagos e deu para ver eles fazendo umas tres ou quatro cuvas ali na minha frente, foi o maximo ver os dois  de joelho no chão e eu ali de camarote. Grande idolo.
Mais um comentario que esqueci de fazer, como tinha pilotos fera no Brasil naquela epoca, Casarini, Jacaré, Tucano, Adú, Edmar e outros, não da para crer que nenhum se firmou no camp. mundial,  sem falar na geração depois, Girotto e Netinho, que desperdicio de valores, se essa galera tivesse nascido na Espanha ou Italia seriam campeões do mundo com certeza, mas Deus os fez nascer no Brasil para fazer a historia  do nosso motociclismo acontecer. Valeu galera.
Othon Voador Russo
(othonrusso@yahoo.com.br) Quinta Feira, 9 de Fevereiro de 2006, às 22:30:16


Estou sem palavras. Ler o que está escrito acima e os comentários me deixaram sem palavras. Um abraço,
Kleber Klein
(siacadastral@uol.com.br) Sexta Feira, 10 de Fevereiro de 2006, às 12:20:35


Realmente, ter uma mensagem do próprio personagem retratado não é para qualquer um, melhor que uma dedicatória com um autógrafo! Parabéns ao Ricardo pela matéria e, acima de tudo, uma biografia com o julgamento do protagonista tem outro sabor, um abraço com grande admiração a esse grande personagem do motociclismo!
Carlos Trivellato
(trivellato@speedybrasil.com.br) Sexta Feira, 10 de Fevereiro de 2006, às 13:49:07


brilhante esta matéria!! me fez lembrar da minha infância, da leitura das revistas de motos que só falavam desta dupla Casarini / Tucano,cada vez mais admiro este site, que nos faz realmente voltar aos bons tempos, a leitura das matérias aqui postadas já fizeram com que a "mosca azul" do motociclismo me atingisse, acabei de comprar uma Intruder 125, para recomeçar neste mundo, quando estiver em forma novamente parto para as clássicas. Um abraço e parabéns pelo site.  
Marco Aurélio Bueno
(buenoaurelio@hotmail.com) Domingo, 12 de Fevereiro de 2006, às 15:48:18


É, realmente o Denízio foi um dos grandes do nosso esporte a motor em 2 rodas; saudades desta época em que os brazucas punham os gringos no chinelo mesmo sem ter o mesmo padrão de equipamento, é um prazer relembrar este ídolo e grande piloto, lendo a matéria é como se ouvisse novamente o som da RCB-1000 que tive o privilégio de vê-la em ação no antigo e verdadeiro autódromo de Interlagos
Silvio Scortecci
(silvio.scortecci@terra.com.br) Sábado, 18 de Fevereiro de 2006, às 13:36:45


Vários posters do Casarini foram colados nas paredes de meu quarto na adolescência! Grande Piloto! Grande matéria!
Christian Q. Spoto
(christianqs@hotmail.com) Segunda Feira, 20 de Fevereiro de 2006, às 00:47:54


Conheci Deníso Casarini pessoalmente à pouco tempo, mas já sabendo de parte de sua trajetória no motociclismo. Obrigado Ricardo por preservar as lembranças desta época de ouro, que juro, teria tido imenso prazer em acompanhar minuto à minuto, se tivesse tido oportunidade.
Realmente Calabrês é o CARA!
E digo mais, o desejo de velocidade que corre em suas veias, é terrível, pois recentemente até de Jet Ski, o cara tá voando, em Itanhaém fevereiro de 2005, ficou em 1º Lugar na Categoria Super Course Master. É fera ou não é??
Valeu Casarini, obrigado por ser meu amigo!
Abraços
Reinaldo Cangueiro
(cangueiro@terra.com.br) Quinta Feira, 23 de Fevereiro de 2006, às 14:47:49


Parabens ao piloto Denísio Casarini.Como muitos outros lembro de ler sempre seu nome e o de Tucano nas disputadissimas provas do motociclismo brasileiro nos anos 70. realmente eram brasileiros, querendo mostrar para o mundo que aqui tambem tinhamos não só pilotos como Fittipaldi, Moco ou seja tinhamos pilotos no automobilismo e no motociclismo.Se não estão nas história mundial pelo menos no Brasil são reconhecidos. Pena que todos já estao nos 40/50 anos pois se fossem começar hoje encontrariam tudo que há de melhor, muito mais facilidades devido a globalizaçao e interesse na divulgaçao do Brasil lá fora.
Franscisco Rubens da Silva
Segunda Feira, 27 de Fevereiro de 2006, às 03:07:09


Beleza, realmente minha vida no motociclismo nacional, comecou, exatamente naquela tarde em Interlagos , quando na bandeirada o Brilhante Denisio cruzou a bandeirada RALANDO literalmente, eu devia ter meus 12 anos de idade e assistia a tudo das arquibancadas logo atraz de onde ele parou de rolar. Ficou inesquecivel em minha mente, e talvez devido a isto , nunca tive receios de competir dando o maximo, pois aquela imagem me impressionou, mas não intimidou minha carreira , pois logo apos algumas semanas estava eu , ja do lado de dentro do autodromo competindo tambem.Grande Piloto Denisio Casarini, Parabens voce sempre foi um campeão digo CAMPEÃO.. abraco a equipe pela reportagem,
Edson TCHEK TCHE
(elusi76@bol.com.br) Quarta Feira, 1 de Março de 2006, às 22:27:46


Esse sim, foi O Piloto !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Leo Camargo

( leoc@ig.com.br ) Quarta Feira, 8 de Março de 2006, às 14:29:32


Com é bom ver que não se esqueceram dos nossos grandes ídolos.
Adilson "Magrão"

( adsouza@terra.com.br  ) Quarta Feira, 8 de Março de 2006, às 15:03:27


A materia realmente é muito bonita, na verdade eu não queria que acabasse pois ela é um resumo da carreira desse grande campeão. Ele sempre foi um ídolo pra mim, eu tive o prazer de vivenciar muitas vitórias, seja elas de moto ou carros, e na verdade o culpado por eu ser apaixonado pelo esporte a motor deve-se a esse campeão. Parabéns pela matéria e principalmente ao nosso herói, vc merece muito pelo que já representou ao nosso motociclismo, ao Brasil, e a todos nós que o admiramos
Rubinho
(ciadasmotos@uol.com.br) Segunda Feira, 13 de Março de 2006, às 18:05:45


Sempre que tinha corrida de motos em Interlagos eu saía de Santos e ia ver Tucano e Denísio andar. Era ir ver um grande espetáculo de dois grandes profissionais.  lindo.  parabens por esta matéria
Jose Carlos
(brazreefers@ig.com.br) Sexta Feira, 17 de Março de 2006, às 00:51:36


Denisio Casarini, esse é o cara! Parabéns pela matéria.
TESTA -José Luis
(testajl@hotmail.com) Terça Feira, 28 de Março de 2006, às 11:48:33


EU, UM JOVEM NA EPOCA, INICIANTE NO MUNDO MOTOCICLISTICO, IA ATÉ A SUA LOJA NA AV. SUMARE PARA ADMIRAR AS MOTOS E SUA FAMA. AS VEZES O VIA E FICAVA FASCINADO PELAS SUAS CONQUISTAS. SEM DUVIDA É UM IDOLO DA ZONA NORTE DE SÃO PAULO.
SERGIO GERON
(APARECIDOTTT@YAHOO.COM.BR) Segunda Feira, 1 de Maio de 2006, às 12:32:17


Olá Denísio, fala patrão...!!!
Tive o privilégio de acompanhar de perto a carreira desse grande Homem... Desde muito cedo ouvia falar de Denísio e do Tucano, que pareciam irmãos de tanto que se falavam deles, e olhem: "Eles aceleravam, e MUITO"... Sempre admirei-o, Denísio, por sua determinação e Garra, com "G" maiúsculo. Sei que já passasses por momentos dificeis em sua vida, mas tenho certeza que você saberá superá-los com a ajuda de DEUS.
Tive também o privilégio de vê-lo acelerar um Opala Stock Car debaixo de chuva, à noite, nas Mil Milhas de  Interlagos, com o limpador de vidro enguiçado, isso a 220km/h... Dá-lhe fera...
Mas o melhor de tudo isso é ter tido como meu orientador e chefe de equipe quando nos sagramos campeões paulista em 1985 pela Equipe Casarini / CNH Honda de Motocross. Tenho tamanha admiração que herdei até o número 16, e constatei que esse é forte ! Um grande abraço do amigo 
Ricardo "Cerejinha" Jacobi   
(ricardojacobi@hotmail.com) Quarta Feira, 24 de Maio de 2006, às 15:05:49


Casarini, meus parabens, sou um OLD também hoje, 39 anos, tive minha primeira moto aos 8 anos de idade (CB50) após CG, ML, XL 250, XLX 350, Saahra, CB 500, hoje sem moto e tentando garimpar uma 750 (7 galo) para colocar na garagem (brinquedo de gente grande) passei por este site e li a matéria em sua homenagem, como era seu fã quando pequeno foi a  primeira a ser lida, só posso dizer, PARABÉNS
Paulo
(pvgr@terra.com.br) Segunda Feira, 24 de Julho de 2006, às 22:33:48


eu tive o previlegio de comprar a minha  primeira moto com vc Casarini. Vc se lembra da Silvio Automoveis na Barão de Limeira, 933 ?
um forte abraço
Sylvio Nardi Jr
(apimoto@terra.com.br) Quinta Feira, 19 de Outubro de 2006, às 14:20:46


Acompanhei a carreira do Denisio e sou seu fã. Gostaria de receber algo para eu guardar como lembrança.
Aparecido Mendes Rocha
(amrocha@logicaseguros.com.br) Domingo, 29 de Outubro de 2006, às 08:58:59


adorei ver a sua saga gostaria de saber se vc, conheceu o Nivaldo Correa? aquardo sua resposta,obrigada
Dulcinéa
(dcp1508@hotmail.com) Sábado, 9 de Dezembro de 2006, às 13:34:22


Sou um motociclista comum, desconhecido, mas tive o privilégio de ser vizinho do Denisio e do José, quando ele e o Tucano, eram representantes da Yamaha, na rua Brigadeiro Galvão, na Barra Funda, e tinha um mecânico muito competente que era o Corvo. Eu tinha uma 750K, que comprei "0", e presenciei as modificações que o Denisio fez na sua mais recente aquisiçao (na época) uma 750 F 1976 amarela. Ele a transformou numa "racer", com os melhores acessórios que possuia, desde escapamento até o guidão Tomazelli. Nao esqueço também uma Yamaha TZ 350, que o José andava escondido nos quarteirões ali no bairro. Bons tempo. Parabéns a vocês !!!
João Roberto Di Domenico
(solterra55@hotmail.com) Sexta Feira, 5 de Janeiro de 2007, às 21:26:20


Ate parece que eu voltei no tempo.Vi  presencieie e participei de tudo isto.. o motociclismo me deu varias oportunidades de vida.esta materia alem de ser realidade e emocionante,valeu valeu mesmo.
Marco Ratto
(rattomotos@hotmail.com) Sábado, 12 de Maio de 2007, às 20:21:27


Tive a grata surpresa de rememorar a incrível carreira de Casarini através da matéria muito bem documentada. Parabéns
Paulo Goffi
(pgoffi@usp.br) Quarta Feira, 23 de Maio de 2007, às 20:00:54


Te conheci, te admirei. Trabalhei na Bardhal em 73. Fizemos algumas feiras juntos. abraços.
Marlene Petrucelli
(mapetrucelli@bol.com.br) Sexta Feira, 1 de Junho de 2007, às 21:48:36


eh campeão que o brasil não conhece, eh uma pena, eu não conhecia.
mario
(malohafermann@yahoo.com.br) Sábado, 2 de Junho de 2007, às 22:26:14


É uma satisfação enorme poder registrar que, quando contava com meus 17/18 anos de idade (por volta de 1974/75), ia até a rua Brigadeiro Galvão 408, na Barra Funda em SP, para passar algumas horas na concessionária Yamaha, de propriedade dos campeões Denísio & Tucano (ainda me recordo do enorme poster dos dois na parede da loja com a coroa de louros no "podium"), sem falar nos momentos em que ia à pista de Interlagos para assistir prova de velocidade na antiga categoria "especial" e ver de perto os pilotos Denísio e Tucano dando seu show!!! Bons tempos aqueles em que se podia ver de perto nossos ídolos e até mesmo obter palpites sobre nossas predileções (motociclismo)! Minhas congratulações ao piloto e empreendedor Denísio Casarini, extensivamente ao Walter "Tucano" Barcchi que motivaram, ambos, a outros brasileiros à ingressar no mundo da competição esportiva!!!
Edson Lucci
(edsonluc@bol.com.br) Segunda Feira, 18 de Junho de 2007, às 14:32:48


parabéns denísio casarini gostei da sua história super fantastica e emocionante
jheferson fernandes
(jheferson.fernandes@hotmail.com) Sábado, 7 de Julho de 2007, às 20:06:56


Que bom poder lembrar episódios que ouvi de meu falecido marido, que apreciou muito a carreira de Casarini, os parabenizo pela qualidade do conteúdo da matéria .
Júlia R. Marques
(julia.marques2004@ig.com.br) Sábado, 14 de Julho de 2007, às 21:13:36


Valeu aí campeão. É uma pena saber que pilotos como Denisio, Tucano, entre outros, passam a correr de carro porque quase não tem corridas de motos. Hoje não está diferente, mas pior até. Quando falo que não é difícil levantar o esporte, dizem que sou um sonhador. Taí a Stock-car para provar. É uma categoria fraca, mas está melhor que a velocidade. Até 1990, as reclamações eram porque não tinhamos motos importadas, agora temos e só falta corridas. Uma pena.
Tabajara A.Jorge
(tabajara-tabinha@hotmail.com) Sábado, 11 de Agosto de 2007, às 08:50:57


quando me entrosei com as motos em 1975 ja lia sua proesas como piloto, hoje ainda curto minha 750 four 1976 um abraço casarini.

nome: airton
(airtonhermes@brturbo.com.br) Domingo, 17 de Fevereiro de 2008, às 23:50:58


Legallll ....eu tambem me chamo Gledson..mas naum tive tanta sorte na vida em me tornar piloto....falow até mais!!!

nome: Gledson Diana
(gledsonpfz@hotmail.com) Quarta Feira, 27 de Fevereiro de 2008, às 20:24:12


Pô tio, quer dizer que vc era melhor que o meu pai Zé?!!  Parabéns tio, muito legal a sua história!
Beijos da sua sobrinha!

nome: Brunna
(bruluz_7@hotmail.com) Quinta Feira, 13 de Março de 2008, às 20:43:56


eu sou sua parente.. Da familia Casarini... =] Neta do Frasncisco Casarini

nome: Luana Casarini
(luana_linda_euzinha@hotmail.com) Quarta Feira, 28 de Maio de 2008, às 20:59:57


TCHE....vc ta com cara de bola murcha na ultima foto.... parabens pela materia...faltou a foto de 1º lugar no Jet Ski de Itanhaem..abração..

nome: Emilio
(losadaelr@terra.com.br) Terça Feira, 24 de Junho de 2008, às 10:24:08


legal gostei parabens Denisio Casarini um abraço FRAN

nome: francisco castelluccio
(castellucciof12@hotmail.it) Terça Feira, 1 de Julho de 2008, às 00:30:03


Preciso de confirmar o endereço da Casarini Motos que fica na Rio Branco.

nome: Paulo Rogério Claro 
(paulorclaro@hotmail.com) Terça Feira, 15 de Julho de 2008, às 17:24:37

Caro Paulo: A Casarini #1 fica na Av. Rudge, 931, Barra Funda e o telefone é 11-3392-3000.
Ricardo Pupo


gigantesco, colossal, quantas saudades desses tempos que infelizmente nao voltam. 

nome: gerson vendramini
(gersonvendramini@gmail.com) Sexta Feira, 25 de Julho de 2008, às 22:45:46


Deni, que saudade, talvez você irá lembrar de mim. Sou amiga de escola da Denise, ficava lá na casa dela horas, sem fazer nada, só fofoca. Adorava a D. Amélia sua avó e a Regina, o Zé, o Junior a sua mãe... que saudade, acompanhei suas vitórias à distância.Mas ontem fique emocionada ao assistir uma reportagem na Band News, em que seu filho deu uma entrevista.Quanto tempo, faz só 40 anos... o tempo passa. Gostaria de ter notícias de vocês. De todos..
Um grande abraço e um enorme beijo na sua mãe.

nome: Magda Aparecida Avelino Salviatto
(magdaveli@terra.com.br) Quinta Feira, 31 de Julho de 2008, às 14:14:23


hoje eu me sinto privilegiado por ter passado um final de semana em companinha deste que é um dos maiores pilotos de moto velocidade...  obrigado "Babau" por ter me dado  este prazer,
do seu novo amigo Abdul Hadi e família 

nome: Abdul Hadi
(abdulhadi@uol.com.br) Segunda Feira, 4 de Agosto de 2008, às 00:58:06


Calabrês é realmente gratificante relembrar esses momentos. Grande abraço campeão. Potenza
Wagner Potenza
 wapotenza@yahoo.com.br


Fiquei feliz em encontrar essa justa homenagem para o Denisio. Estudei com ele no colegio Centenario. Estou feliz por ter noticias desse maravilhoso motoqueiro. Sabia que ele seria campeão muitas vezes, pois ele adorava motos. Obrigada, Ricardo por essa homenagem.
Áurea
 bueno.aurea@hotmail.com


parabens Denísio, pelo seu grande sussesso sobre duas rodas e pela vida também, e eu gostei de conhecer a história de um parente meu, e gostei quando vc passou de uma moto 350 pra uma 750, que isso deve ser complicado, acostumar com uma moto 4 tempos muito mais pesada e mais rapida... e é isso, abraços, se cuida.
Leonardo Manis Casarini
 leo_saga_gemini@hotmail.com


Tenho uma honda xl 250r, e por ter revistas da época dela, (84) cheguei a ler o sobre nome casarini, mas não tinha idéia da odiséia desta família , em especial do denísio, PARABÉNS!!!
emerson
 emersonguerradelimal@bol.com.br


não sei se você se lembra de mim, sou Marina , irmã do Gatto, que corria com você, ele morreu alguns anos atrás, mas eu vivo na Itália, muito perto de Valentino Rossi, queria muito ter noticias tuas, desculpa, mas eu nunca te esqueci... ah, fui casada com un Casarini, meus filhos são Casarini, sobrinhos netos do Tio Pedro, teu pai...
Marina Gatto D'Amico
 
damico_marina@hotmail.com


bom, o que tenho a dizer... é que já trabalhei pra ele e realmente ele é féra no que ele fazia !
nome = thiago
email = tyty_1213@hotmail.com


Você sempre foi um guerreiro, estudávamos juntos no Centenário. Parabens.
nome = Maria Zilá Fusaro
email = zilafusaro@yahoo.com.br


ola Denisio é o Beto do Centauro Motor Clube, vc me deve uma visita to te esperando, vc é meu convidado para dar a Bandeirada na 500 Milhas de Interlagos no dia 17 janeiro, 2010 um grande abraço.
nome = Jose Roberto Beilstrein
email = jrbbeilstrein@hotmail.com


Meu nome é Denizio Março de Sousa Rocha, e para mim é ótimo saber que não sou o único com esse nome apaixonado por motos. Obrigado por existir xará e que DEUS lhe abençoe...
nome = Denizio Março de Sousa Rocha
email = denizioheroi@hotmail.com


Denísio, tive a felicidade de reencontrá-lo recentemente, o que me deixou muito feliz. Como prometi em breve farei uma visita a vc e ao Zé aí na Av. Rudge. Os melhores tempos foram aqueles em que as provas de motociclismo eram "maravilhosamente" disputadas por caras como vc, o Tucano, o Edmar, o Zé (seu irmão) e tantos outros que nos deixavam tão emocionados de assistir. Tive esse privilégio, pois trabalhando inicialmnete na Equipe de Sinalização de Pista Speed Fever pude acompahar todos os "pegas" de vcs de perto. Realmente foram tempos maravilhos, e que, infelizmente, não voltam mais. Continue sendo esse grande cara. Abs
nome = Barranquinho
email = barranco@speedfever.com.br


Eu só tenho que ter orgulho de ser brasileiro, e ter um ídolo como você Denisio. Gente como você nos enaltece, e nos enche de orgulho!
nome = David Luiz Jacinto
email = david.luiz747@terra.com.br


La verdad que es un genio!!!
nome = Leonel Denisio
email =
leonel.d.90@hotmail.com


Meu pai, Ernesto Urbani, sempre contava das suas vitórias; ele sentia muito orgulho de vc.
nome = Vilma Urbani
email = vilmaurbani@uol.com.br


Fico feliz de ver suas fotos Denê (primo) da Jamel, já faz muito que não o vejo, entre em contato, pois admiro muito e a toda familia, Zé, Tia... bjos com muita saudades. PS. voce não envelheceu muito parabéns pelo Site ... sou irmão do Renato, o picareta...
nome = Jorge Luiz Batista Leme
email = Jackway1@hotmail.com


Um certo dia, em São Paulo, perto da "boca do veneno", vi você passar com sua moto inteira "mexida" perto de mim, roncando grosso, fazendo com que todo mundo te olhasse e te admirasse. Lembro-me também, que nesse mesmo dia, vi juntos, também de moto, igualmente "mexidas", o Tucano e o Peru. Sinto muitas saudades daquela época. Lembro-me, também, de suas corridas com carros. Realmente, temos orgulho por registrar a existência, em nosso passado motociclístico, de um piloto tão arrojado como você. Continue brilhando sempre, meu amigo, pois quem nasce para brilhar, nunca fica ofuscado, por mais que a luz se torne tênue. Gostaria tambèm de parabenizar o Ricardo por sua sensibilidade e por resgatar, em tão brilhante matèria, a estória de um de nossos maiores pilotos de motos. Finalmente, Denísio, você evidentemente não deve se lembrar, mas quando fui até à sua loja para comprar uma sapatilha de corrida (eu fui campeão de Kart da Copa Lenine Severino categoria Standard "B" em 1980), você próprio me vendeu a sapatilha, pois, por um feliz acaso, você estava atrás do balcão e me atendeu. Muito obrigado por existir. Um grande abraço.
nome = Sylvio Martins Bonilha Filho
email = sylviobonilha@ig.com.br


Historias, sempre ficarão no tempo... pessoas e seres humanos que foram algo a mais daquilo que as vezes poucos chegam... sei lá destino lutas ... ou até mesmo ... histórias para crer que a vida existe mitos e ele Sr Denisio ...sr Tucano.. Eduardo Luzia... SR Luiz Claudio... Motoasa ... Cetemo GUALTIERO MEMORIAN e aí segue a vida ... mas as vitórias do passado sempre serão as vitórias mais difíceis pois o recurso sempre estará para frente ... Denisio você e seus amigos de pista foram dentro das pistas imbatíveis ... e fora dela ... campeões eternos... abração ...
nome = Mauricio Hanzi
email = sprojet@hotmail.com


vc é um vecendor, lutou e conseguiu parabens
nome = douglas
email = douglaslippert@ig.com.br


Denísio, impressionante sua história, orgulho casaverdense. Parabéns!!!
nome = Claudio
email = claudio.espin2@gmail.com


não sabia que trabalhava para um grande piloto, parabéns pessoas como vc merece, fui o motorista da sua familia em 93/94 eu sou o CLAUDINHO abraços para todos.
nome = LUIZ CLAUDIO
email = transportesgiandra@yahoo.com.br


o Denizio era meu amigo de infância e esta Leonette dada pelo pai dele era minha, e eu gostei muito da matéria. obrigado
nome = Diocredes de Faria
email = diocredes@ig.com.br                            21/03/2011


Ola Denisio tudo bem? Estivemos juntos em algumas corridas nos tempos da Bardhal, sempre admirei e acompanhei sua carreira, mesmo estando morando na França. Gostei muito de ler sua biografia. Abraço
nome = marlene
email = mapetrucciello@gmail.com                      01/06/2011


Ola Denisio, gostei muito de ler a sua biografia. Nos anos 70 principalmente de 70 a 75 eu morava em Sao paulo e acompanhava tudo de voces (Tucano tambem) ate entao, eu com 11 anos apenas aprendi amar motos e corridas que correm no meu sangue ate hoje...Eu tive o prazer de estar dentro dos boxes tanto nas corridas quanto nos treinos e devido a amizade com um corredor de cat 125 e 500, na epoca Indio (Marinho) e o preparador dele Salvattori, que ficava ali na entrada do Butantã ao lado do antigo Rei das Batidas...Tive o prazer de entrar na pista e correr junto com Indio num treino...inesquecivel...Um grande abraco e obrigada por tantas emocoes!!!
nome = Denise Cassia Savoi Soares
email = deni.savoi@yahoo.com.br                            06/06/2011


Dificilmente vc se lembrará... éramos colegas em Interlagos, 500 milhas, 24h de Int, etc... Eu tive a 1ª moto escola de SP, perto de sua loja, era colega tb do Tucano, do Jacaré (cross), e do nosso amigo que faleceu na estreia do Autódromo de GO... maravilha recordar... abç... td de bom... Chrys
nome = Chrystine
email = chrystine_E@hotmail.com                        05/09/2011


com muito orgulho pude conhecer este grande homem ! vencedor nas pistas e na vida, beijos te amo
nome = geni do carmo
email = geni.pni@hotmail.com                            22/09/2011


sou neta de arpalice casarine q eram italianos sou marionete ferrari fone 033-3221-70-72 desejo conhece-lo quem sabe somos parentes
nome = marionete ferrari
email = netenil41@hotimail.com                            23/09/2011


casarini voce fez sua parte no motociclismo mundial estas em minha lista como um dos brasileiros que fizeram historia no motociclismo mundial .
nome = aderbal
email = afelisbino@yahoo.com                            28/09/2011


SENSACIONAL ! É ... O TEMPO PASSA ... AH, EU ESTAVA PRESENTE NA ANTIGA ARQUIBANCADA DE INTERLAGOS EM FRENTE OS BOXES E PRESENCIEI "AO VIVO E A CÔRES" O TOMBO DO DENÍSIO E ÊLE CRUZANDO A LINHA DE CHEGADA RASPANDO NO CHÃO, NÃO SAI DE MINHA MEMÓRIA ÊSSE MOMENTO TENSO, PORÉM DE UM VERDADEIRO CAMPEÃO
nome = CARLOS ALBERTO PAPA
email = carlosalberto.papa@bol.com.br                    07/10/2011


achei o maximo esta linda historia mas eu sou neta de ARPALICE CASARINI E ANGELO FERRARI talvez somos parentes me responda por favor
nome = marionete ferrari
email = netenil41@hotmail.com                                17/10/2011


Aí campeão ! Sempre falou alto, abraços
nome = claudio de mauro
email = claudiodemauro@yahoo.com.br                    01/12/2011


Muito interessante e justo reconhecimento.
nome = Dirceu
email = dirceuleandro@hotmail.com                                    14/12/2011


Quantas saudades, hoje eu tenho 49 anos, a Gledson foi meu primeiro emprego, comecei a trabalhar lá em Março de 1978, portanto vivi e vi bem de perto essa fase áurea... Legal, tô muito contente de ter achado essa matéria no Google. Se o Denisio ler este comentário diga pra ele que sou da cidade de Assis/SP, amigo do Dirceu Leandro talvez ele se lembre. Obrigado Abraços a todos Sucesso, sempre!!!
nome = João C. Cruz
email = jc.cruz1962@uol.com.br                                        15/03/2012


Denísio foi o meu primeiro ídolo do motociclismo, eu nem havia entrado ainda na adolescência e já curtia ele demais. Dia desses eu o vi no Programa Momento Moto e foi bom demais! Todo o meu carinho e admiração!!!
nome = Betj                                                                19/03/2012


É isso ai Grande Piloto de Moto, meu Amigo Evaldo conhecido como Magrão é um grande fã do Denísio Casarini e eu passei a conhecer sua história através dele ! Fico fascinado com as histórias que o Mago me conta daquela época, se eu tivesse uma máquina do tempo voltaria pra ver essas corridas que o Denísio ganhou ! Forte abraço e muito sucesso e saúde pra você Denísio Casarini, grande ícone da história das corridas de Moto!
nome = Pierre D'Almeida
email = pierredalmieda@hotmail.com                        29/05/2012


Muito legal......
nome = Vitorino
email = Speed.car@uol.com.br                            31/05/2012


tenho muito orgulho em ter sido funcionario da Casarini e conviver com Denisio Casarini, um dos homens mais justos e decentes que conheci, nao à toa seu sucesso em sua vida.
nome = Rildo dos Santos
email = rildo-s-luz@ig.com.br                            11/06/2012


Denísio, muito bom relembrar ! Nós corremos juntos, vi essa foto onde Edgarzinho Soares estava caído e me achei na foto, lembro que desviei da cabeça dele e tive que fazer uma volta de recuperação, nas tres lombadas errei o pulo e quebrei a clavícula, e um outro, que era fotógrafo foi atropelado. Esse foi o nosso começo. Voltei a correr depois na categoria 250, mais para assistir a corrida de dentro da prova, correndo mas sem pensar em conseguir pontuação. Só por amor ao esporte. Lembro-me bem de uma corrida na Trailândia em que você atropelou o Bernardo e deu uma polêmica danada. Mais lembranças, eu corria pela equipe Moto Famosa, com o preparador Paulinho e a oficina de vocês tinha um tucano na porta. Lembra-se de sua viagem a Poços Caldas a trabalho pela Yamaha? Você foi numa perua para passar os filmes promocionais, eu já estava lá, pretendíamos subir a estrada do Cristo mas acabamos não fazendo. Essas são algumas de minhas caras lembranças desses anos loucos. Junico, de Santos.
nome = Junico
email = c.v.junico@hotmail.com                        08/10/2012


Grande Casarini. Tive o privilégio de conhecer e andar de moto nas ruas da Casa Verde. Nunca consegui passá-lo nas curvas...rsrsrs
nome = Carlos Augusto de Souza
email = dcarlosaugusto@gmail.com                        15/10/2012


Esqueceram do maior tombo da história ? O Casarini chegou em terceiro e a moto em segundo....rsrsr Eu assisti ao vivo. 
nome = Dr.Carlos Augusto de Souza
email = dcarlosaugusto@gmail.com                  15/10/2012


DENISIO, TIVE O PRAZER DE INICIAR MINHA CARREIRA EM 1977, SOU DE JAU, MAS TANTO VC COMO TUCANO, E TANTOS IDOLOS QUE TINHAMOS NA BELA ÉPOCA DO MOTOCICILSMO ROMANTICO BRASILEIRO, MAS CONVERSANDO PESSOALMENTE COM WALTER TUCANO NESTE ANO EM INTERLAGOS, SUGERI QUE INTERLAGOS TIVESSE UMAS DE SUAS CURVAS COM O NOME DE (CASARINI / BARCHI), POIS SÓ AQUI NO BRASIL NÃO SE FAZ HOMENAGENS AOS PILOTOS DE MOTOS. E DEVERIAM SER REVERENCIADOS EM VIDA. E VCS FIZERAM A HISTORIA NO MOTOCICLISMO BRASILEIRO. PARABENS.
nome = SILVIO "INDIO" GONÇALVES
email = indiomotovelocidade@hotmail.com              26/10/2012


Denisio, meu sonho é andar de moto com vc, te amo!!!!!!!!!!
nome = Geni do Carmo Alonso dos Anjos
email = geni.pni@hotmail.com                                    26/10/2012


tive a oportunidade de ver algumas de suas corridas, Denisio foi um dos maiores pilotos de motos que vi em toda minha vida , parabens Denisio, na história do motociclismo no Brasil voce é uma lenda viva .
nome = Jose Carlos Correia Braz
email = correiabraz_22@hotmail.com                            14/11/2012


Grande Denisio. Apesar de morar longe, em Vitória/ES, pude constatar o potencial dele. Certa feita quando fazia um curso de mecânica na Yamaha (guardo o diploma até hoje) em 1974, haveria um treino em Interlagos. Eu fiquei responsável pela limpeza dos escapamentos das TZ-350 e, orientado pelo Tanigawa lá fui eu enchê-los de porcas e ficar balançando até deixá-los polidos internamente. Chegando em Interlagos, chovia e o "Seu Edgard" todo de preto e com aquele cigarro, tanto fez que queria ver o melhor tempo entre o Jacaré e o Denisio, inclusive fizeram uma aposta. Não me lembro do tempo, mas O DENÍSIO LEVOU A MELHOR.
nome = Antonio "Tacaa" de Paiva
email = tacadepaiva@bol.com.br                                23/11/2012


Parabéns Denisio, como diria meu Vô Carmelo - calabrês é calabrês - rss
nome = Sergio Margiota
email = sergio.59@terra.com.br                            05/03/2013


A Moóca reverencia a história do veloz piloto Casarini que me fez relembrar meus tempos de velocidade em Interlagos na Taça Centauro.
nome = Nilton Cazzaro (Niltão da Moóca)
email = Tancau@tancautanques.com.br                25/03/2013


denisio comprei uma rd350 na sua loja em 1973 na barao de limeira. voce , tucano e o jacare (falecido) são os melhores fazem parte da historia do motociclismo brasieiro. parabens
nome = paulo carvalho
email = paulocarvalho007@hotmail.com                    01/04/2013


bom matar a saudade de grandes pilotos e suas incriveis performances em tempos tao dificeis. obrigado casarini, tucano, paule, edmar, adu e outros pioneiros.
nome = romero adjuto
email = romeroadjuto@gmail.com                        10/04/2013


Tive o previlégio de ver esse exelente piloto numa prova no Autódromo de Tarumã (RS), Ele, Admar Ferreira e Walter Tucano Barchi. Foi muito Show! Abração!
nome = Luis Rogério Valério ( Pelotas-RS)
email = l.rogeriov@yahoo.com.br                        06/05/2013


OI, O COMENTARIO QUE TENHO PRA FAZER É QUE EU TIVE O PRIVILEGIO DE PEGAR CADA UM DESSES TROFEUS NAS MÃOS, NEM QUE FOSSE SÓ PARA LIMPA-LOS, SOU UMA EX FUNCIONARIA.
nome = ELIETE                                                10/06/2013


Foi muito bom ter lido hoje esta matéria que não tinha visto ainda.Fiquei muito contente matando a saudade de um verdadeiro campeão com o qual perdi o contato.Vc.sempre será um ídolo para a nossa geração. Ah,ainda tenho aquela CB-400 Ano 80 que Vc.dizia:"Zanuzzo,vamos trocar essa BIXEIRA" e eu falava q. iria te vender como RARIDADE. Pois é, ela está toda original e andando redondinha,ainda c/ o decalque da tua loja. Abraço.
nome = Zazi Zanuzzo
email = z.zanuzzo@hotmail.com                        02/12/2013


VIAJEI NO TEMPO LENDO ESTA MATÉRIA. UM VERDADEIRO CAMPEÃO QUE PUDE ACOMPANHAR EM JORNAIS, REVISTAS E 2 VEZES EM INTERLAGOS NOS ANOS 70 E 80. APLAUSOS AO AUTOR DA MATÉRIA.
nome = MARCOS ROBERTO PUCCIARIELLO
email = marcos_pucciariello@ig.com.br                            18/09/2015


Patrão. É assim que eu gosto de chamar carinhosamente, somos pirmos, você me deu um presente em um momento muito difícil da minha vida do qual eu jamais vou esquecer e minha mãe, sua tia, ou mãe, que aí eu percebi o quanto voce gostava dela, onde ele está com certeza sente a felicidade de ter sido muito bem lembrada por você , ou melhor muito bem tratada, você estará sempre no meu coração, tenho uma admiração, um respeito gigante por você e mais, como sempre falei sou seu fâ, não sei se um dia poderei te agradecer, mas fica essa pequena homenagem. Abraço de irmão, estarei a sua inteira disposição.
nome = Rubens
email = rfernandesjunior@yahoo.com.br                             15/04/2016