Eu me lembro muito bem ...

 

Home

Página 7


Esta é uma seção das nossas recordações.

Cite alguma coisa ou algum acontecimento que marcou na época, e que você "lembra muito bem" !

Se quiser, pode apenas fazer um comentário sobre alguma das lembranças já publicadas.

Eu me lembro muito bem ...

1  2  3  4  5  6  7


Bom pessoal , hoje tenho 42 anos e ando de moto há 27 anos, falando um pouco dos rachinhas, vou lembrar aqui e espero encontrar algum amigo que usufruiu daquela época maravilhosa. Quem lembra dos rachas na imigrantes e Vicente Rao, no qual eu tinha uma RX125 preparada pelo mecanico José TRES RIOS do Campo Belo / SP e dava pau em um monte de RDZ, RX180, CB400, Agrale 27.5 ou 30.0 e mais um montão de motos, tínhamos então uma galera de amigos no qual vou falar agora e espero reencontra-los, do Aeroporto, Vital RDZ, Magal RD, Nega RD, Rogério "peruca" RDZ azul, Sacomani Agrale 27.5, "Cegão" RD, "Japão", "Abelha" e mais alguns que não me recordo, ando hoje de 1000 cc Speed e garanto, preferia aquela época. Abraços a todos daquela época, M50 no sangue, inclusive saí em uma reportagem na Duas Rodas na matéria "Ratos de Oficina" em 1988, abraços...
nome = José Agripino Diniz
email = jose@giramundosp.com.br                                
São Paulo - SP                                                                13/03/2012


Eu me lembro da Lucilene Mendes Murata, uma moça que corria no moto-cross na cidade de Dourados-MS, nunca mas ouvi falar dela, ela era demais, corria barbaridade, agora estou na cidade de Poços de Caldas, Minas Gerais... abraço a todos de Dourados, que por sinal lembram de mim, sou o Mariano...
nome = Haroldo Mariano de Oliveira Tavares
email = haroldomo1234@yahoo.com.br
Poços de Caldas - MG                                                    15/03/2012


Rachas de Sexta, sábado e domingo: Relógio da USP, Fonte da USP, Marginal Pinheiros, Pça. Panamericana. Ano: 1976 a 1980. Comecei com uma Maxi Puch Motovi. A turma: Marcelo Araki, Shin, Chiblinho, Yutaka, Ramirinho, Fioca, Santorsa, Turma da Casa Ito, entre outros. Todos Puqueiros. Depois já com as CGs, MLs, RSs, RDs, FS1 e CBs 125, em 1978...Call Center na Faria Lima, Club Holmes, Bosque da Saúde, etc... nossa turma teve mais de 20 motoqueiros... foi daí que chegaram o Caveira, Osvaldo Cruz (terraplanagem), Jó, Moa, entre muitos outros... Uma lembrança que jamais esquecerei... Se algum de vocês ler este depoimento, entrem em contato, ok? Estou tentando localizar vocês... Turma do Bosque da Saúde, Rio Pequeno, Jaguaré, etc.
nome = Nilton Kenji
email = nki@globo.com
São Paulo - SP                                            19/03/2012


... era final da década de 80, nós fazíamos trilha direto na pousada dos bandeirantes, pedra branca, periquitos, trabiju, caçador, karaçi, santa cruz, jorge e mais no final dos anos 90 trilha do búfalo, as motos eram xizelão, dt, agralle e as ultimas montesas 360cc os amigos eram, neno, eneias, mario, camilo, joao carlos, ventura, marquinhos, chiquinho e outros que não lembro agora. Aconteceram muitas coisas ao longo de mais de vinte anos de trilha, mas a mais interessante foi quando fomos pra monte verde pela trilha do jorge e voltamos pela santa cruz, escureceu na trilha ,estava eu, neno, mario e camilo, todas as motos sem farol, então largamos as motos e descemos a trilha usando o refletor da seta dianteira e a bateria da xl, então achamos uma fazenda, pedimos ajuda, então o administrador sr. luis deixou-nos pernoitar então no outro dia subimos a trilha a pé pegamos as motos fomos pra casa, as nossas esposas quase nos bateram, ligaram para monte verde a policia disse que só procuraria após 48 horas, saudades desse tempo que não volta mais, hoje por uma felicidade tenho um sitio na pedra branca e por coincidencia umas das trilhas da pedra branca passa ao lado do meu sitio, as vezes fico sentado na porta olhando com os olhos marejados a trilha e lembrando que eu e os amigos passavamos por ali, hoje tenho uma tornado mas só faço passeios por estrada de terra, se alguns amigos daquele tempo ler este post mande uma menssagem, abço,carlos guerreiro
nome = carlos ivan guerreiro
email = carlosguerreiro.7@hotmail.com
são jose dos campos - sp                                        20/03/2012


Dos relatos feitos pelo Nelson de Oliveira eu fiz parte desta historia das vaquinhas leiteiras das rd50 e rd75 entre outras, inclusive da rd75 com banco rabeta guidão tomazeli e comandos recuados que depois de algum tempo foi minha e ainda hoje tenho o guidão as abas do farol os comandos e de vez em quando fico olhando e matando a saudade daqueles bons tempos valeu!!!!!
nome = Camilo
email = cafesilv2010@gmail.com
São José dos Campos - SP                                    23/03/2012


Dos anos dourados! Hoje, sábado, moto na garagem e eu aqui pensando onde eu poderia ir e não ser roubado. Por isso tenho saudades da cincoentinha (1974), naquela época nem pensava em nada, saia por ai só curtindo e sentindo o prazer de tocar uma motoca. PQP, o que fizemos com esse planeta?
nome = Gerado
email = getei@bol.com.br
Rio de Janeiro - RJ                                            09/04/2012


de quando meu pai me ensinou os primeiros passos de uma restauração, é muito bom, ele até hoje só restaurou alguns fuscas e eu estou na reforma de uma c 125 1986
nome = cristhian verona
email = verona.cris@hotmail.com
Arroio Trinta - SC                                        13/04/2012


Eu me lembro bem quando nos anos 80 (faz pouco tempo, né?), todos sonhávamos, na maioria, com as estradeiras, pois eram o significado dos conforto sobre rodas. Hoje, tristemente (ou nem tanto assim) são as trails as motos mais confortáveis para longas jornadas, principalmente com garupa, pois não se fica com as pernas dobradas como uma rã, e tanto faz se é uma 600 ou 1200. Pedaleiras altas e recuadas são o padrão hoje em dia. É de se lamentar não poder sonhar com sua 4 cilindros por motivos que nem se imaginava pouco tempo atrás. É lógico que tem as BMW, fabricante que ganha cada dia mais mercados com motos confortáveis para dois. Rídiculo, ou será uma pena mesmo?
nome = Tabajara Aparecido Jorge
email = tabajaraaparecidojorge@hotmail.com
São Carlos - SP                                                        18/04/2012


Eu havia tomado um estabaque de CB125K5 e ela estava com a frente bem destruída. Precisei fazer um raio-x na praça Saens Pena e fui de motocicleta. Quando parei a moto na calçada um PM veio pedir habilitação e documentos da moto. Eu não dei confiança e passei uma corrente na roda dianteira demonstrando estar apressado. Me levantei e disse ao PM que estava atrasado para uma consulta e que a moto iria ficar ali trancada, na volta eu falaria com ele. Fiz o que tinha que fazer e fiquei olhando lá de cima até que o guarda atravessou a rua. Desci as escadas na maior correria, me aproximei abaixado, tirei a corrente e liguei a moto. Ele me olhou ainda com os veículos passando, ganhou um tchauzinho e fui.....
nome = José Geraldo
email = silva.tgj@bol.com.br
Rio de Janeiro - RJ                                            04/05/2012


Salve Guerreiro, Salve Camilo, já faz tempo mas as trilhas do Carlito e a comida que a Tânia fazia era tudo FANTÁSTICO, a galera que se reunia por lá era TUDO gente boa, e depois as estradinhas de São Chico onde a gente enrolava o barbante e andava sem lenço, sem documento e sem capacete (as vezes), Trabijú, Trilha do Jorge, Vestibular, Erosão, Petrobrás, Cachoeirinha, e outros lugares que a gente nem sabia que existia, mas não desistam! voltem a andar de moto senão vocês ficarão velhos, Guerreiro coloque aquela antiga moto trilha que você gostava e que te fazia feliz na varanda da sua casa na Pedra Branca e deixe ela ligada de vez em quando para sentir o cheiro do óleo 2 tempos no ar, de vez em quando faço isso aqui em casa com minha RD 75 Amarela e minha CB 50 Branca, deixo as duas ligadas e fico observando o tempo passar, podem não acreditar, mas volto a acelerar na curva do "S" exatamente como fazia a 30 anos atrás, mas quando dá saudade das trilhas acelero por aqui (no bairro) minha DT 180 zerada com 10mil KM e fico curtindo o aroma do 2 tempos M50 daquela época, isso vale a pena, mas quando a saudade aperta vou lá no Ralf de Caxias e viajo na maionese e entre uma cerveja e uma mentira vamos afogando as saudades dos amigos distantes, não existe "grana" que pague tudo isso. Saudações motociclísticas a todos os IRMÃOS de São José dos Campos, Cidade onde a gente era feliz e andava de moto prá caramba, saudades do Boka, do Romero, do Carvalho e do Alexandre TUCANO, onde anda esta alma? e da turma que enrolava o barbante na ladeira do seminário quando nada por lá existia, só eucalipto, neblina, gasolina, velocidade, muito azaração e FALTA DE JUÍZO... Saudades das COCOTAS... Paz, Saúde e felicidade a todos! Mas prometam, não deixem de andar de MOTO! Nelson Oliveira Nelsinho Desmaio - Rio de Janeiro
nome = nelson oliveira
email = nelsonmotohonda@ig.com.br
Rio de Janeiro - RJ                                            07/05/2012


Que saudade dos anos 70 quando saia de Copacabana a noite pra tomar umas em Grumari. Estrada da Barra deserta sem prédios. Na volta vinha pelo Alto da Boa Vista ou pelos tuneis até o Leblon. Eu na minha Suzuki TJ350 e outros dois malucos me acompanhando, um em uma RD 350 e outro em uma Harley 69 sem escape.
nome = Paulo Meira
email = pmvasconcellos57@hotmail.com
Rio de Janeiro - RJ                                        11/05/2012


Das corridas em Interlagos com Denisio Casarini e outros bambas e quando saia dali parecia que a corrida ainda estava rolando, meu amigo Celso grudado no bagageiro daquela RD 200cc que de tanto medo sua mão chegou a sangrar quando chegamos em casa.....
nome = Mario Luiz Dogo
email = mdogo@bol.com.br
São Caetano do Sul - SP                                    11/05/2012


Das RD 350, RDZ 135, RX que passavam à noite na avenida de minha casa acelerando no máximo com escapamento esportivo e a TV ficava com a imagem ruim e todas ficavam reclamando...KKKK. Hoje só se ouve o barulho das motos sem carisma... tudo "artificial".
nome = Rui Cristiano Dias Dias
email = rcdias2000@yahoo.com.br
Araxá - MG                                                            24/05/2012


época boa de muleque eram os pegas na Cidade Universitária, Pedro Bueno, Imigrantes estradão, muitas 2T bala, RX80 com kit de 125 a álcool, ia com 400 até 4ª marcha, eu tive uma, eram verdadeiras Fórmula Yamaha da época por causa do peso... tempo bom.
nome = alvaro f souza
email = alvaro1519.20@hotmail.com   
São Paulo - SP                                                    25/05/2012


De quando parei minha RD350 num sinal na praça do avião na estrada do galeão e uma CB450 saiu com tudo do outro sinal e debochadamente o dono da CB deu aquela olhadinha para trás e eu fui buscar ele com minha RD, passei só que pouco depois minha RD deu de falhar e ficar funcionando em só um cilindro, olhei para o retrovisor e a CB vinha com a faca nos dentes kkkkk, quando ele estava prestes a me passar a RD voltou ao normal mandei duas marchas para baixo e a CB ficou de novo na fumaça kkkkk, viva a lenda da viúva negra
nome = Fernando Oliveira (Beraite)
email = motomaniabomsucesso@gmail.com
Rio de Janeiro - RJ                                                        28/05/2012


Em 78, de Lavras - MG, Chuí, Montevidéu, Buenos Aires, Foz do Iguaçú, Lavras, numa 500 T e uma CB 360
nome = Dalton Nogueira da Silva
email = dalton.nogueira@hotmail.com
Lavras - MG                                                         31/05/2012


Quando desciamos para Caraguá, quase todos sem habilitação e o seu Bejamim (veio Beija) ia junto, nos íamos de RD50 e RD75 o seu Bejamim ia com uma CB125, ele ia cuidando da garotada nas loucuras que fazíamos pela estrada, era um racha de São José a Caraguá ... quantas saudades.
nome = Camilo
email = cafesilv2010@gmail.com
São José dos Campos  - SP                                    11/06/2012


da minha 750 Super Sport ano 76, azul, única que vi no Brasil, comprei na Lamoto, 2º dono, andava muito mais que as amarela e vinho, ela tinha um kit brabo, os primeiros 4 em 1, saudades mesmo, vendi para uma agência de automóveis na Tijuca
nome = enrique
email = epapiro@gmail.com
Rio de Janeiro - RJ                                                13/06/2012


Quando ganhei do meu saudoso Pai a RD 75 amarela que era do Rogério, tive que ralar de sol a sol na farmacia lá no Jardim da Granja para ganhar este presente, mas valeu foi só alegria e me lembro da primeira noite com a Motinho, fiquei na porta do Estevão Ferri do Monte Castelo, onde se reunia a galera, estávamos Eu, o Bocão e o Paulão Xepa azarando as minas e depois "tocamos" para a Vick onde a rapaziada fazia ponto e as motinhos faziam sucesso, saudades da galera...
nome = Nelson Oliveira
email = nelsonmotohonda@ig.com.br
Rio de Janeiro - RJ                                            15/06/2012


sobre os comentarios do Amigo jose agripino diniz do dia 13/03/2012 segue alguns adendos.... jose, o peruca mechia na minha rx 125 e o sacomani eu o vi a mais ou menos 1 ano na vila mariana, nessa epoca de rachas na imigrantes eu andava com o Alexandre (rato) alexandre tome , zambeta, arnaldo, junior , renato.adilson, jacare celzinho e muitos outros conhecidos e minha rx dava trabalho tambem pra galera de RDZ / CB . tempo bom demais muitas saudades
nome = ALEXANDRE VIEGAS
email = VIEGASALE@HOTMAIL.COM
São Paulo - SP                                                                                10/07/2012


Me lembro quando tinha as corridas de Ciclomotor ( Mobylete ) eu corria com uma toda verde, corria tambem o Alexandre Barros, Cesar Barros, um loirinho da San Diego motos que tambem ganhava tudo. Isso foi final dos anos 70 corria tambem o Eduardo Tres Rios. Nossa, Interlagos era muito bom, eu passava o domingo inteiro lá, vendo corridas depois da minha de mobylete. Tenho uns filmes de Super 8 da época... às veses olho e me recordo com muita saudades disso .
nome = Alexandre Vera
email = alexandrevera16@hotmail.com
São Paulo - SP                                                        31/07/2012


DO MEU IRMÃO QUANDO COMPROU UMA CG125 1982 E TINHA MEDO DE APRENDER A ANDAR COM A MOTO, MINHA MÃE COLOCOU ELE E A MOTO NA RUA E QUANDO ELE VOLTOU JÁ TINHA APRENDIDO A ANDAR DE MOTO.
nome = LUIS FERNANDO GAMA
email = luisfernandogama@bol.com.br
SÃO GABRIEL - RS                                                    30/08/2012


Do falecido Zazá com a boca do tanque pegando fogo na sua RD 250 marrom, do falecido Alemão na sua 350 verde musgo, do Rogerinho na sua Yamaha 180 cc branca (antes até da RD 350 cc), do falecido Mineirinho mecânico de mão cheia das RDs, do Sr. Aramis e do Walter e Vadinho da Fórmula 1, do China na sua Ducati e por ai vai ... Nessa trajetória me deliciava com as minhas R5, RD 350 B (e nos anos 90 com RD 350 LC), se ainda fabricassem RD 350 hoje com certeza teria outra. Ao pessoal da Tijuca que teve o Alto da Boa Vista como o lugar de adrenalina pura e amizade e rolês, um forte abraço e saudades de todos.
nome = Gabriel Lessa
Rio de Janeiro - RJ                                                04/09/2012


em 1979 fui buscar a minha maxi motovi puch, era o início de uma vida sobre duas rodas, a emoção era tanta que eu nem havia dormido na noite anterior, com pintura personalizada em azul degradee, guidão morcequinho, para lama dianteiro em fibra, escape dimensionado, rabeta cortada com lanterna curta, banco inteiriço, eu me sentia o cara mais feliz deste mundo, acho que rodei uns três dias sem parar, São Paulo ficou pequena, me metia pra todo canto, não havia perigo de assaltos como hoje...
nome = Marcio Faria
email = mg66faria@hotmail.com
São Paulo - SP                                            12/09/2012


... de quando meu pai Dennison Vieira Perez, cruzando a linha de chegada em primeiro lugar, levantou o braço pra mim, e abaixou correndo, pra não ser desclassificado...
nome = Flávia Perez
email = flavia_perez@hotmail.com
Campinas - SP                                                20/09/2012


... da minha RD 250 verde 74 zerada no Guarujá verão de 76. Descíamos eu e meu amigo Dáuria que tinha uma idêntica. Eram tão afinadas que trocávamos as marchas irremediavelmente no mesmo giro, mesmo tempo. Numa dessas noites conheci o amor de minha vida. O amor de verão subiu a serra e nos casamos 4 anos depois. Durante todos esses 31 anos foi companheira nas viagens que fizemos até dez / 2011 ( Atibaia na atual Yamaha 950. Hoje acompanha meu pai, também motociclista, pelos campos dourados e estradas lá de cima ...
nome = Celso Augusto Oseas do Amaral Pupo
email = celsoaugusoa@uol.com.br
São Paulo - SP                                                25/09/2012


De ficar rodando a noite toda curtindo o frio e a neblina nas madrugadas frias de São José dos Campos, iamos até Monteiro Lobato e depois a São Francisco Xavier e a rapaziada dormia no bar do Toninho, o frio era tanto que a gente tinha que enrolar o pé com jornal para poder dormir. De manhã café caprichado e ovo frito e um tiro até Monte Verde, por dentro e só rodando em estradão de terra, saindo de lado nas curvas e comendo poeira e como dizia meu amigo Bocão: Cada cuspida era um tijolo! e tudo de RD 75 com guidom de trial, com botas cobra e camiseta Hang Teng, era muito bom...
nome = Nelson Oliveira
email = nelsonmotohonda@ig.com.br
Rio de Janeiro  - RJ                                                    01/10/2012


Do final dos anos 80 (88), comprei minha 1ª moto (CG ano 80) e começei a frequentar o CPE em frente à igreja do Embaré, em Santos. Fazia as "rondas" na madrugada com meu amigo Cid, que tinha uma Turuna 84. Ali fiz muitos amigos, conheci minha primeira esposa, era uma época em que as "redes sociais" eram ao vivo, existiam várias turmas, mas todos eram amigos de todos, a paquera era olho no olho, não na webcam. Não tínhamos celular, tablet, internet, mas um não deixava o outro na mão. Lembro das discussões dos defensores de Honda X Yamaha, cada um defendendo a sua marca preferida. Quase de manhã, era hora de comer um sanduba no carrinho de lanche do Tropeço, que era irmão do Cid. Saudade daquela turma, quem viveu não esquece.
nome = Luiz Félix
email = luiz1702@hotmail.com
São Vicente - SP                                                01/10/2012


... das corridas do Hollywood de Motocross, de ver o saudoso Nivanor Bernardi (o Touro do Paraná) ganhar todas. Íamos de Blumenau a Gramado de RDZ 125 só para ver as corridas.

LEMBRO COMO SE FOSSE HOJE, FUI DE BLUMENAU A PORTO ALEGRE DE RDZ 125 SÓ PRA VER O LANÇAMENTO DE RD350 LC , O LANÇAMENTO FOI UMA PROVA NO AUTODROMO DE PORTO ALEGRE, FOI MUITO EMOCIONANTE E AS MOTOS CORRIAM TODAS ORIGINAIS.

nome = RENATO BIGODE
email = canilherrblumenau@brturbo.com.br
Blumenau - SC                                                    01/10/2012


... das curvas de Mobylette em frente ao Colégio Sevigné... Na saída das garotas, óbvio...
nome = Luiz Bruno Azevedo Henz
email = lbruno.henz@gmail.com
Porto Alegre - RS                                        01/10/2012


...da época do BatBat em São Leopoldo, uma casa de batidas que ficava no bairro Cristo Rei. O Léo Dias , piloto de motocross da época (1980) andava de Kawasaki 250 empinando na avenida.
nome = Hector Palomino
email = asneg37@yahoo.com.br
T1 = São Leopoldo - RS                                            05/11/2012


no começo dos anos 70 depois que saiu o filme "Sem Destino" todos que tinham aquelas motos antigas do anos 60 tipo Norton, Jawa, NSU, Matchless imitavam colocando aquele guidao alto, cortavam o paralama traseiro rsrsrs
nome = Lelo
email = luizboglar@hotmail.com
São paulo - SP                                                    10/11/2012


em 1980, farol do cruzamento da av. Brig. Faria Lima com Rebouças, mais ou menos 8:30 da manhã, todas as motos se alinhavam na frente dos carros esperando o verde, um olhando a moto do outro e suas possibilidades de pular na frente de todos, haha era muito bom ver as 500 e 750 precisar de 300 metros pra pegar a minha RD 350 ano 76. Que saudades!!!!!
nome = Adilson Pedrão
email = lebracha1@hotmail.com
São Paulo - SP                                                    19/12/2012


do ronco da minha Yamaha RD50 azul 1977, em 82, com 16 anos, eu desfilava com ela na Av. Paes de Barro /SP, tirava os rachas na Anhaia Melo, e ia paquerar no Juventos, empurrava até a garagem de casa quando quebrava e tinha gosto de consertar para desfilar novamente.
nome = Vito L. Zupo
email = vitolzupo@gmail.com
São Paulo - SP                                                28/01/2013


Saudade da minha GT 380 M 1976, das últimas que chegaram ao Brasil com 4ª via. Comprada zero km. Usei até começar a ter problemas com os escapamentos (nunca gostei de 3x1, entendia e entendo de motor) como não podia comprar um novo a vendi. Esta foi a última moto da década de 70 que tive, nesta década foram: DT3 E 71, a primeira. RD 125, duas delas. RD 350 substituída pela GT (que era melhor moto, mas andava bem menos). Foram quase 15 anos sem moto até que uma nova sequência de motos se iniciasse para nunca mais parar. GSXF 750, ZZR 1100, BANDIT 1200 e três GSXR 750. Mas a saudade bate e quero uma TX 500. Quanta diferença entre aquele tempo e hoje, voces me perdoem, mas naquele tempo quem andava de moto era a classe média alta, hoje a pouco educada classe Z esta aí na rua. Podem criticar a vontade, mas é fato.
nome = alvedm@terra.com.br
Niterói - RJ                                                02/02/2013


No final de janeiro tive a felicidade de encontrar o DADINHO no SBS aqui do Rio e o papo que rolou foi tudo de bom, após a homenagem que ele fez para o Contra-Pino figura conhecida do motociclismo Carioca onde ele restaurou uma Honda 3 cilindros com cara de RD que nunca vi, e depois aceleramos num papo sobre o Saudoso Pedrinho Cadeia que faleceu no ano passado, foram várias passagens mas a que mais me deixou com água na boca foi quando o Pedro do nada convidou o Dadinho para um passeio na garupa, nada anormal se não tivesse sido para ir até Curitiba -PR isso sem nada combinado e planejado, foi só passar em casa e pegar as coisas e sumir na estrada, saudades eternas do amigo Pedrinho...
nome = nelson oliveira
email = nelsonmotohonda@ig.com.br
Rio de Janeiro - RJ                                        20/02/2013


Me lembro bem, de quando subiamos o Alto da Boa Vista de Caloi 10 e Brandani, turma do Grajaú e Andarai, entre 78 e 1980, de "gancho", que era preso nos parachoques dos carros que paravam para nos dar carona, ate a pracinha do alto. Era uma aventura, o pessoal, Mauricio Gordo, Claudinho, Jorge Neguinho, Kif (falecido), Silvio, e outros que não lembro agora. Nas noites de sexta e sabado, assim como nos sabados de manhã, para ir a pra da Barra da tijuca, faziamos a mesma coisa. Era assim: Ficavamos no posto Nota 10, inicio do Alto, fazendo o sinal antigo da carona, com o polegar, e ai quando um carro parava, 2 caras colocavam "os ganchos" no parachoque, com uma corda de persiana (resistente) guardando uma distância de uns 5 metros do parachoque, e um toco de madeira para segurarmos na outra extremidade. Assim, subiamos o Alto da Boa vista na Tijuca dos anos 70/e início dos 80, era perigoso, mas curtiamos sem a noção do perigo. As vezes acontecia um acidente, mas graças a DEUS, nada fatal, só ralação mesmo. Coisas de um tempo sem maldade, muito perigoso, mas muito bom, ou melhor, foi bom...
nome = josé henrique cansado
email = henriquecansado@hotmail.com
Rio de Janeiro - RJ                                        27/03/2013


das RX 125, tive 17 delas, são as mais resistentes debaixo de pau, a gente vivia fazendo pega aqui em Pelotas defronte o bailão. Hoje tenho uma RX 180 que não vendo, de 92 a 2013 nas velhas RX, só quem teve sabe o que é. Saudades das dois tempos por toda parte.
nome = paulo renato souza garcia
email = pauloguabi@gmail.com
Pelotas - RS                                            05/04/2013


Do ronco das CB400 e Turuna que o Luzia preparava para desbancar o dominio das 2T.
nome = Fernando Rossi Jr
email = fernando.rossi.junior@gmail.com
São Paulo - SP                                                27/04/2013


Dos bons tempos em que trabalhava na oficina do Valfrido em Forquilhinha SC, eu tinha um ajudante o Pereira , irmão do Didi e em 1986 compramos cada um, uma DT 180 N, a dele uma vermelha com banco preto, a minha uma branca com banco vermelho, então trocamos os bancos e ela ficaram lindas a minha branca e preta a dele toda vermelha ai foi aquela azaração na cidade, muitas viagens fiz com minha DT, sinto saudades daqueles tempos em que moto era estilo de vida ! EU AMO MOTOS
nome = ALTAIR FEUSER
email = af.maquinas@hotmail.com
Criciúma - SC                                            02/05/2013


... de ver o box cheio de pilotos de nome e a arquibancada cheia, em Interlagos. Com prêmios em dinheiro, moto pela metade do custo prá correr, e até sem patrocínio se corria ...

... quando dormia nos box de Interlagos prá ver corridas de moto e carros, nos anos 60/70. Só sonhava em um piloto desistir de correr e me botarem prá pilotar, mau sabia eu que poucos anos depois estava lá eu como piloto e sendo um dos melhores do Brasil.

nome = williams james cabelinho
email = williamsjames42@hotmail.com
Rio de Janeiro  - RJ                                    02/05/2013


Do pessoal que se encontrava no ZERO do Ibira, aos domingos, quando eu tinha uma galo cereja 74, com aquele indefectível 4x1 e guidão Tomazelli...
nome = Pepa
email = opepa@uol.com.br
São José dos Campos - SP                    13/05/2013


da primeira moto, uma YB 50 1974 sem o miolo de escape, as meninas acenando para eu parar, todas queriam dar uma voltinha, quanta saudade dos anos 1975 !
nome = Samuel F Santos
email = samuel.felicio@uol.com.br
Goiandira  - GO                                        03/06/2013


Do tempo em que os motoqueiros cumprimentavam-se nas ruas, andava-se sem capacete e sem preocupação com assaltos, do IBIRA, da rua Augusta... saudades
nome = Milton Eller
email = miltoneller@ig.com.br
São Paulo - SP                                    02/07/2013


DA GALERA SE REUNINDO EM SANTANA NA RUA DOS BARZINHOS (RUA DUARTE DE AZEVEDO), O ACRE CLUBE, VER OS RACHAS, O RINCÃO DA PAMONHA, E O BAR DO PEDRÃO. A ÚNICA PREOCUPAÇÃO ERA SABER QUE MINA IRÍAMOS CONSEGUIR PEGAR... BONS TEMPOS!!!
nome = MILTON GIRASOL
email = classicas70@hotmail.com
São Paulo - SP                                        08/07/2013


Da minha RD350 (viúva negra) fazendo as Honda750 e CB500 comerem poeira entre Itajai e Balneario de Camboriu, pela rua de paralelepípedos, em 1972. Muito chopp foi ganho, tomado e comemorado com os amigos!
nome = João Bortoliti
email = jlmarine@terra.com.br
Itajaí - SC                                                10/07/2013


da minha primeira moto, uma Yamaha R3, de 350cc, ano 1969,cor de vinho e preta, comprada de meu primo Miguel Soares Araujo, nunca vi outra até hoje, depois vieram uma 750 K0, carenada, cor degradê de amarelo, 4x1 Sarachú, Tomazelli, comprada do Inho Ragazzo, varias RD 350cc, duas CB 500cc, varias 750cc, uma CB750 F5, ano 81, prata, mod. europeia, comprada do Pato de Campinas, cunhado do Netinho e do Fio de Campinas, com 4x1 kerker, Tomazelli italiano, rodei quase 70.000 km com ela, meus amigos motociclistas da época: Gilberto Torrezan-Pintinha, CB500c; João Gullo, Suzuki 250cc azul; Chicão Madeireira Carlos Gomes, RD 350CC cor de vinho; João Lucatto, Suzuki 250cc, azul; Carlinhos Mercuri-Risco, Suzuki GT500; Moacir Mercuri-Nene da Merk-Back, Honda CB750cc; Gilson Negro, CB750 K8, marron e CB750 F5, vermelha; Leninho Delbel, CB 750cc, azul; Celso Tank, R3 350CC-Yamaha, roxa e branca; Betinho Mofatto, CB750,K0, vermelha; Zé Silmann, CB350cc, dourada e TX500cc, Yamaha, roxa; Estevam Varga, Suzuki 250cc, azul; Oscarzinho Breda, CB350cc, roxa; e muitos outros amigos que não me lembro mais e peço desculpas de não citá-los; Cesar Ceneviva, Osmar da Ford-Bambu, Edson, mecânico, filho do Português, Indiam 1200cc, vermelha, tempo bom que não volta mais.
nome = Nato Araujo
email = armalogtransportes@gmail.com
Limeira - SP                                                30/08/2013


Subimos pra Poços de Caldas afim de comer uma massa. Eu numa CB 360 redondinha, o João Timbum na sua velha e excelente CB 350 amarela e o já falecido Zé Fiofó numa recém comprada Suzuki 380 cc, verdadeiro canhão da época. Subimos por Andradas e descemos pelo Prata, não tinha jeito de chegar nem perto da Suzuki. Tracei mentalmente um plano para ultrapassá-la; seria na descida que antecede a curva mais perigosa de S. João- Pinhal. Eu não poderia deixá-lo desgarrar, tinha que ficar ali atrás bem pertinho. Desceria em 5ª, quando acendesse sua luz de freio, eu engrenava 4ª e encheria o motor, mas tinha o perigo da curva,  se desse muito gás, eu não a faria, saindo dela, enrolava o cabo com tudo e babau Zé Fiofó. Deu tudo certinho, cheguei pelo menos uns 400m à frente. Paramos no posto da entrada da cidade, ele veio e me disse, Vc é louco cara, mas foi uma manobra espetacular. Parabéns. Vamos molhar a goela, Zé e hoje eu pago. Morreu com trinta e poucos anos meu grande amigo.
nome = Joaquim de Carvalho Santos
email = jdecarvalhosantos@hotmail.com
Espírito Santo do Pinhal - SP                                17/09/2013


Eu me lembro de minha Yamaha RX180, que meu pai, com felicidade e dificuldade financeira me deu qdo eu só tinha 16 anos. Era linda, azul com listra espelhada, muito confortável, aceleração forte, ou suave qdo se desejava. Fui a uma festa de aniversário dos colegas do ginásio e sai com a mais linda na garupa, pra altos beijos... Um dia, a moto com 3 meses de uso, deixei a na porta de um edifício sofisticado, onde eu estava atrás de outro rabo de saia. Levei uns poucos minutos pra pegar algo lá, ... a moto foi roubada! Fiquei apavorado, pois sabia a dificuldade que me pai tinha financeira, e já tinha ouvido sobre a dificuldade dele pagar as prestações. Qdo fui dar a notícia a ele, ele imediatamente gritou: "Graças a Deus!" Ele estava morrendo de medo de eu morrer na moto, assim como tantos garotos dos anos 70/80. Tenho saudade da RX180, mas muito menos saudade do que a que sinto pelo meu pai. Ainda bem que ele ta vivo, e vamos tomar cerveja juntos amanhã, como toda quinta-feira... Hoje tenho uma XJ600S 1991. André
nome = Andre
email = acbueno@outlook.com
Niteroi - RJ                                            04/10/2013


MAIS PRECISAMENTE 1977, COMECEI COM UMA HARLEY AMF 125, DEU MUITO TRABALHO, AI COMPREI UMA NORTON 48, 500 CC, VIVIA NOS RACHAS, MARGINAL PINHEIROS, PÇA PANAMERICANA, RELOGIO USP, FONTE USP, TIVE VARIAS MOTOS, NORTON, ROYAL ENFIELD, HONDAS 350, 500T, 550 F, YAMAHA TX 650, SUZUKI TJ PISTA, CG, TURUNA, RD 350, CB 400, LEMBRO DA BRUNELLA, MISTY, POSTO GASOLINA, ERA CONHECIDO COMO ALEMÃO, HOJE CABELOS GRISALHOS CINQUENTÃO, AINDA ANDO DE MOTOS, TAMBÉM ANDEI NO CIRCULO IBIRAPUERA, SAUDADES, BONS TEMPOS, GRAÇAS A DEUS ESTOU VIVO.
nome = Sidney Martins
email = sidneymartinsbike@yahoo.com.br
São Paulo - SP                                                25/10/2013


Tijuca, paraíso dos pegas!!! Fazer o Alto pra cima, ir até o Oswaldo e depois para na pracinha, era demais! Lembrança dos amigos, Mongol, Peixe, Leitão, Cezinha, Branca, Miltinho, Paulão do Estácio e tantos outros! Tempos inesquecíveis!!!!
nome = Marcelo Alberto
email = marcello-alberto@hotmail.com
Cabo Frio - RJ                                            21/11/2013


- Ronco de 7 galo de 69 a 78,não tem prá ninguém.Tive uma 79 de tanque já quadrado(tipo boldor) com 4x1 yoshimura lá no japão e digo com certeza que o ronco da moto do século não é pra menos.Mesmo a cbx 1050 que é extremamente linda(tinha um senhor que tirou zero em 79 dono de uma loja de pesca no largo de pinheiros)é muito imponente mas não tem a sinfonia do 4 cilindros não.Isso é saudosismo,elegância.Tenho colegas que colecionam carros e motos,o requinte do passado não se compara com atual.Na galo antiga,cada peça tem seu capricho.E assim também com cadilac rabo de peixe,thunder 55,xk120...Dá muito prazer os gloriosos anos dourados.E os desfiles na augusta,praça pôr do sol nos anos 80 em que se montavam telão á noite,os namoros,alucinados de motochamando no grau.Època de Paulo ricardo rpm que morava no prédio na frente de onde eu morei na fradique,dinho ouro preto que reunia numa rua perto da charles muller,eu no camarim com roupa nova numa boate em pinheiros,roupas new wave,b52's,tênis xinesinho,casio g shock e ca90calculadora,Op,lightingbolt,latitude3001,vou vivendo,coco verde.Os opalas 250s,passat ts,fuscas preparados(tinha um que voava na marginal pinheiros com motor porche 911 turbo),os maveco(tive um chumbo com rodas raiadas de jaguar),dodjes charger rt-le baron-dart,mustangs(um vizinho aqui do bairro teve hard top branco),camaro rs 327(também),camaro type lt-z28.Em 1984 eu estava na pedroso de morais num domingo indo pra igreja e me para no farol um camaro 67,modelo 327rs com blower enorme,daqueles que ficam +- da altura do teto do carro.Nas aceleradas as polias começaram a girar e um rugido mistura de um torno com barulho de jato assoviando nervoso.O carro quando saiu eu vi que estava com aquelas imensas aro 15 calçados de mickey tomphsom atrás e slicks.É indescritível,o cara arrancou e logo de imediato eu senti um vácuo no ouvido como se fosse um apagão nos tímpanos,pra daí vir aquele ronco ensurdecedor que pqp,tremeu o chão.Mas eu não perdi a cena,coisa linda o classicão cobiçadíssimo até mesmo nos eua ali verde metálico reluzente mostrando saúde e sumindo dando pra ver o reflexo do blower fudido todo polido,assoviando já longe.Impagável.

- Uma revista duas rodas anos 80 em que a capa estampava uma cg bolinha vermelha com motor de cr 125 competição."a cg voadora".Imagina.Em 1988 vim a saber de um carinha da leste que tinha uma rdz com motor de agrale 30 e kit de wxt competição com mais de 50hps,e carenagem integral parecendo rd350lc.Xinfra,véio.

- Meu,época da pana (jack in the box),o tatu's frut que era point de racha e eu colava de maveco V8,a usp de domingo que era só barbaridade de rl-zerinho-no grau,faria lima perto da dakon-pandoro que colava uma corvete preta big block e dava pau em 911 e ferrari.As turminhas de yamaha com sarachu gritando e um bando de moleques só curtindo a zoeira(tenho rdz e dt).A diferença é que na época a adrenalina era apavorar no radicalismo,curtir as máquinas(7galo,rx,rd,dt xl,mobila,turuna,montesa,agrale,gt,zr,kapra,mz...)O problema é que hoje se preocupam mais em aparecer(vitrine de shoping),coisinha da moda.Na época a coisa era duca mesmo.E eu que aprendi andar de moto com 12,era um tesão curtir o dia inteiro no rolê.Levava minhas motos no Salvatore Balestrieri e pedia pra fuçá no talo minha viúva que dei um caldo lindo numa galo rothmans lá na 23 de maio que o cara não acreditou.vim emparelhando a uns 70 por hora,o carinha deu uma queimada no acelerador chamando reduzida e foi.Minha rd o acompanhou até dar vdo e quando a galo parou de dar velô,estiquei o fim da 6 marcha.Takiupariu,véi.A av. Sumaré que eu dava um gás de maveco junto com amigos de cougar,cadilac,xr3,monza sr...Meu era vicio mesmo.Nessas,como eu era meio doido eu saia com meu carro da garagem,e na rua bombava o acelerador até giro máximo(tem contagirinho sobre o volante)e como não tinha autoblocante,eu dava queima da na embreagem e cutucava o volante para a esquerda e ai o bichão vinha que vinha arrastando de lado,metia segunda e entrava na rua a direita sem olhar(paralela a raposo),terceirinha no gás e entrava na raposo sem olhar também.Nossa,que adrenalina que me deixava todo suado.Tive 7galo já em 91 mas a bandidagem já vinha me observando.País em que não setem segurança.Aqueles bons tempos de curtição me deixam saudades.

nome = Eliel
email = eliel.hayashi@gmail.com
São Paulo - SP      
                                     27/01/2014


- Em 90 que eu tava morando-trampando no japão e no terceiro mês comprei uma ninja.Rolê pra todo lado e no trampo um colega japonês adquiriu uma RG500gama.E todos ficavam falando daquela moto que andava muito,que era especial,que foi fuçada pra pista.E eu acabei ficando pensativo pois pelo ráááátatatata..não parecia ser tudo aquilo que o povo comentava.Então eu curioso perguntei se ele deixaria eu experimentar a rg e ofereci que ficasse com minha kawa.O rapaz olhou pra minha ninja,fez uma cara de desgosto e falou que tudo bem que eu poderia dar rolê na sua mas a minha que deixasse estacionada ali.E eu perguntei:Você não acha minha moto bonita,você não acha rápida?E ele deu risada.Pôrra,como eu era cabaço nesse sentido.Eu não sabia o que era 2 tempos de velô o que no japão tinha muitas racings 2 tempos(nsr,tzr,rg,125 a 500)O japa me liberou.Dei a partida e vi que o contagiro ia até 18500!Meu,saí e percebi que era muuuito leve,e que cambiei 1,2,3 marcha a 3500rpm e a motinha zunindo pouquinho estava a 90km/h.Caralho,essa moto deve andar mesmo.Virei o quarteirão e pensei:eu quero ver se essa moto anda pracaráio como todo mundo fala.Engatei 1 marcha,deixei retinha,embalei deixando uns 30/h e acelerei até o talo e soltei duma vez a embreagem.Senti o coice,ela foi ganhando velocidade e senti que a frente estava boiando no ar.Quando foi chegando quase a metade do quarteirão ela veio levantando a frente e quando ia virar eu apertei a embreagem,subi três marchas pra aliviar,desci a frente e com o coração pela boca.Pensei:deixa eu levar pro dono que senão com essa realmente eu me mato.O japa falou:E aí hayashi,curtiu? Meu,pqp;anda demais.E tem que ter braço,viu!A moto pesa que é uma pena,arisca pra caceta.Se você tenta manter velocidade constante ela não aceita e fica tátátátátá cada vez mais forte.Ela não aceita,precisa acelerar.A bicha é braba mesmo.Tava com kit especial,era versão especial e que michael jackson fora presenteado com uma dessas pela pepsi que era parceira da suzuki e hoje faz parte do acervo da família jackson.Bons tempos.

- Lembro-me uma vez de um truta que começou chamar no grau e foi pegando mesmo o dom.Certo dia ele veio subindo a rua barbarizando.Nessa rua havia 3 lombadas.Todos pensaram:o cara entortando desse jeito não vai passar assim na lombada pelo meio da rua,não.E para surpresa de todos não é que ele conseguiu dominar e continuou engatado!Caraca,pegou a manha mesmo...E todos observavam melhor na segunda lombada como é que se fazia,pois a xl é prolink então com a placa raspando...Meu,chamando na embreagem e a xl meio de lado,o cara foi...pro chão.Todos correram pra ajudar.Só que chegando perto a cena era tão engraçada que todos cagaram de dar risada. O chegado tava caído de bunda com o chinelo havaiana com aquela bolinha solta balançando e com o óculos fundão de garrafa(se não me engano era grau 13)todo torto na cara e com a lente rachada.Meu,foi muito engraçado aquela cena,todos cagavam de rir e o cara: ai minha bunda,ai minha bunda...Teve dois chegados que juro pra vocês;passaram mal de não conseguirem parar de rir.Graças a Deus(que ave,eu não estaria vivo aqui pra contar histórias verídicas pela geração...)esse truta só deu uns raladinhos na bunda mesmo mas nada grave.Lembrávamos do Jerry lews,não seria possível ser tão engraçado mas nem em filme.Valeu

- em 1978 lá em marília, numa avenida em que se reunia motoqueiros de cb-fours,kawa Zs,rds,gold wings...Umas que não tinham muito eram yamahas e suzukis 4 tempos de alta cilindrada.Lembro-me de uma gs 1000 suzuki 4 cilindros com tomazeli,rodas maguina que eu não havia visto daquele jeito ainda que eram aros pequenos e largos,4X1...fiquei drenado(eu com 8-9anos de idade)e comecei a viajar pensando na emoção do ronco,da potência,da velô daquela máquina tão exclusiva(era uma prata).Aí vem um senhor estilo street figther,monta na bichona(não que eu tenha algo contra,mas na moto mesmo),dá a partida e já sai enrolando tudo;fazendo o chão tremer.Pqp,apavorou.Valeu a cena.

nome = Eliel
email = eliel.hayashi@gmail.com
São Paulo - SP      
                                     28/01/2014


Época da praça pôr do sol no Alto de Pinheiros, domingão a tarde. Estacionava-se, e curtia-se umas latinhas de breja, conversa fora e vendo o lindo pôr do sol, literalmente. Quebrava-se o gêlo com um ou outro doido, era colega subindo no grau de Teneré, outro chegado descendo no RL, um AC Cobra 427 verde musgo original fazendo presença, Charger RT laranja no burn-out. Eu e meus colegas já ouriçados para acelerar pra qualquer lugar, tinha que dar rolê. Os "cabaço" que não conheciam a área ficavam assustados. Ali era presença de descolados, naquela época. Não que eu queira discriminar, mas não era "multidão"de varzeanos fazendo bobagens de torto a direito, como se vê hoje. E nem "escovinhas" pagando de "bandi" na frente de bailes funk. Como eu curtia aquelas bandas, ressaca dos pega de sábado de madrugada na praça Panamericana (Jack in the Box). Hoje, eu com 45anos, fico olhando com olhos marejados aquela praça; e com saudades daqueles tempos. Hoje, os pirados na pilotagem se encontram nas periferias carregados de droga e maldade na cabeça, com péssimo caráter. Desculpem meus senhores, mas é claro que não estou generalizando. Eu digo que é saudade da época em que se fazia loucuras naquele tempo. Hoje é diferente. Mas quem gosta de motos e carros principalmente antigos, é praxe faltar funcionamento do "autolube" no cérebro. Se o "gênio" já era acelerado naqueles tempos, glória a Deus de sermos sobreviventes T-Rex. Se hoje somos "Tiozinho" aparentemente bem comportados e bonzinhos, digo pra você o seguinte: Peripécias sempre estarão presentes em seu interior, e a tendência é sempre piorar. Uns que são julgados por outros como "Pacatos", esses aí que quando fazem acontecer, é a M.... de verdade. Valeu !

nome = Eliel
email = eliel.hayashi@gmail.com
São Paulo - SP      
                                     04/06/2014


Eu me lembro de muitas coisas que aprontávamos quando moleque, principalmente em cima das lambrettas modificadas que tínhamos. Modificações que eram apenas estéticas, pois como não podíamos compra uma moto decente, trocávamos as bicicletas que ganhávamos de nossos pais de presente de Natal por cacos velhos de lambrettas LD150 e cortávamos toda a lataria para diminuir o peso e modificar a aparência. Tive uma de sociedade com meu grande amigo Paulo Barão, na qual eu e ele colocamos um tanque de gasolina soldado num pedaço de cano de água e transformar numa “Xispa” muito capenga, mas ficou legal. Como o restante era de lambretta, o pedal de freio ficou na posição original sendo um pouco difícil de acionar devido o tanque que agora era de moto. Uma vez um conhecido pediu para dar uma volta e na hora de frear não conseguiu achar o pedal e caiu com a lambretta num barranco da Via Anchieta (KM18), foi muito hilário o acontecido. Outra vez outro amigo, o Dr. Elcio, quase atropelou a minha mãe, que estava na calçada em frente nossa casa no Bairro Planalto (SBC) também pelo mesmo motivo: não achou o pedal do freio, indo de encontro com o muro...rsrsrsrs. Felizmente em nenhum dos acontecidos teve danos maiores do que alguns arranhões, tanto na lambretta como nos envolvidos. Mais tarde conseguimos ter motos decentes, eu com minha RD125 1974 bicilindrica, moto canhão comparada com as CG´s, o Paulo comprou uma Honda ST 70 e o Elcio uma CB360. Muito boa essa época, éramos jovens inocentes e não tínhamos maldade alguma, somente um sonho de um dia tirar a Habilitação, pois só tínhamos 16 anos, e poder viajar com nossas maquininhas. Em fim o tempo passou e hoje nos (Eu , Paulo e Elcio) estamos planejando nossa viagem após 38 anos. Eu sou o único que estou sem moto grande, atualmente tenho uma DT180 toda restaurada a qual enfeita minha sala, mas o Paulo tem 02 HD e vai me emprestar uma. O Elcio comprou a dele semana passada, uma Vstrom, acho que agora vou realizar o sonho de criança.

nome = Wellington
email = wellcj5@ig.com.br
SBC - SP                                        08/07/2014


da saída da domingueira do ACRE CLUBE na zona norte de São Paulo, os rachas de Yamaha RS 125 contra as Turuna... só dava 2 tempos
nome = Iracy Aparecido Bonturi
email = ira@metalar.com.br
São Paulo - SP                                05/03/2015


Também sou da geração Pedro Bueno, Pan Americana, Zerinho do Ibira, Tapetão, Praça do Relógio e muito mais. Foi no cursinho Telles Pires, vendo todos os dias meu colega (não me lembro o nome) chegar de 50tinha, de escape dimensionado e guidão Tomaseli que peguei o vírus da moto. Mas o que quero contar de verdade, aconteceu anos antes, quando meu Tio Zé me pegou pelo braço, eu tinha no máximo dez anos, e me levou em Interlagos num domingo nublado, arquibancadas vazias. No final da prova, ficamos de pé pra ver a chegada. De repente o ponteiro derrapa, 100 metros ou pouco mais da bandeirada. Perde o controle da moto, cai, é ultrapassado e cruza a linha de chegada rolando. Eram Tucano e o Denísio, num dos episódios mais incríveis que ja vi, e que fazem parte da história da motovelocidade no Brasil. E nós estavamos lá, pertinho da linha de chegada testemunhando tudo. A sequência de fotos que peguei na seção das personalidades vão fazer parte da decoração que to fazendo na minha garagem. Parabéns pelo site. Viajei no tempo por aqui
nome = Denis Peres de Souza
email = denisperes@gmail.com
Salvador - Bahia                                28/07/2015


Eu me lembro da revenda Ibirapuera motos onde se reuniam os pilotos da decada de 70 a 80 como o professor Bira que era eu na época eu tinha uma Yamaha 750 com kardan. todos os pilotos ou a maioria se reuniam lá, nomes como Cigano , Marcelo Guerreiro, Birigui, Peixoto , Rocke Uruguaio ,Ramom Makaya e ate Jone Cecoto, que veio como participação especial nas 200 milhas de Interlagos, e a noite todo mundo para o Murilo Batidas e rua Augusta.
nome = silvio bayeux da silva junior
email = mps_representacoes@hotmail.com       
Praia Grande - SP                                                08/12/2015


quando comprei uma Suzuki GT 380 dourada no Mappin em 1974, delirei...
nome = Ezio Barioni
email = ezbarioni@gmail.com
São Paulo -SP                                            27/02/2016


quando fizemos uma viagem de SP a Cabo Frio em 1972 eu com uma Suzuki T350, e juntos uma CB 750, uma CB500, uma GT550 e uma CB350. Eu com a T350 e o amigo com a GT550 íamos atrás por causa dos motores 2T.
nome = Ezio Barioni
email = ezbarioni@gmail.com
São Paulo - SP                                            27/02/2016


da primeira vez que vi ao vivo e a cores a honda Cb 400 do meu amigo kabide. paixao pela moto que perdura ate hoje.

em 1982 na entrada do autodromo da cidade um motociclista chegando com uma 7 galo amarela 4 x1 tomazelli banco rabeta aquele ronco maravilhoso o calor do motor inesquecivel.

nome = aliomar grein
email = aliomargrein30@hotmail.com
Mafra - SC                                                07/03/2016


em 1982 na cidade de Piracanjuba-Go, eu com meus 11 anos de idade já apaixonado por motos vi pela primeira vez a amazonas vermelha novinha do Horipão da farmácia, achei ela bonita e imponente demais. Apos 33 anos e varias harleis decidi que era a hora de comprar uma amazonas então vendi a fat boy e comprei a minha pretona ano 83 que minha mulher chama carinhosamente de "Mariona", em tres meses rodei 2 mil kilometros e é so alegria.
nome = Mario Junior
email = Marioestradeiro.jr@bol.com.br
Goiânia - GO                                            05/05/2016


>  1  2  3  4  5  6  7

(preencha e clique em Enviar)

 


Eu me lembro muito bem...


Nome:   E- Mail: 

Cidade : Estado: